logotipo /imagens/bandeiras/pt.gif   /imagens/bandeiras/gb.gif   /imagens/bandeiras/it.gif   /imagens/bandeiras/es.gif   /imagens/bandeiras/fr.gif
  
Slideshow Image 1 Slideshow Image 2 Slideshow Image 3 Slideshow Image 4 Slideshow Image 5 Slideshow Image 6 Slideshow Image 7 Slideshow Image 8
Apresentação
Palavra do Pároco
Palavra de Deus e revelações privadas
Aparições e revelações
Os Santos e a interpretação da Escritura
Balasar
Beata Alexandrina
História de uma Vida
Missão
Mensagem
Espiritualidade
Mística
Colóquios
Êxtases
Orações
Fátima e Balasar
Alexandrina no mundo
Processo | Glorificação
Serviços
Horários Litúrgicos
Pastoral da Mensagem da Beata Alexandrina
Serviços aos Peregrinos
Peregrinos - Estatísticas
Destaques
Capela da Santa Cruz
Cruz de Cristo
História da Capela S. Cruz
Alexandrina e a Santa Cruz
Fundação
Protocolo
Logótipo
Corpos Gerentes
Arquivo
Notícias
Temas de Reflexão
Meditar e Rezar com a Beata Alexandrina
/imagens/noticias/2016/rsz_img_0030.jpg
Balasar celebrou o 12.º aniversário da Beata Alexandrina
2016-04-27

Na segunda feira passada, Balasar viveu um grande dia pela ocasião do 12º aniversário da beatificação de Alexandrina Maria da Costa. De acordo com as contagens, mais de 4 mil pessoas deslocaram-­se a Balasar.

A manhã desse dia de sol iniciou-­se com cânticos, uma conferência do Pe. Dário Pedroso, S.J. sobre a Eucaristia: Fonte de Misericórdia que cura. Seguidamente deu-se início à Eucaristia, celebrada pelo Sr. Arcebispo D. Jorge Ortiga, e foi especialmente consagrada aos doentes, também presentes, que no final receberam a bênção do Santíssimo Sacramento. Durante a homília, o D. Jorge refere que se nos deixarmos “conduzir pelo próprio Deus na certeza de quem é Deus e que se formos instrumentos dóceis, ele gera, ele provoca na vida das pessoas a sua própria vida (…) e que da nossa parte importa uma grande interioridade, darmos tempo para estarmos a sós com o nosso Deus. Referiu, ainda, que na Igreja e nas paróquias falta “muito a mística (…) e qualquer cristão deve ter uma mística, uma mística como vontade, mas também uma mística como interioridade para apostar verdadeiramente e dar o primeiro lugar a Deus.” Apelou também a todos que se encontravam na assembleia para que “a religião não seja apenas algo de alguns momentos mas que encha a nossa vida.”

Por fim, o celebrante frisou que Alexandrina tocou o coração de muitas pessoas, porque estava cheia de amor de Jesus.

No final da Eucaristia deu-se a tomada de posse dos novos membros da Fundação Alexandrina de Balasar, com mandato até 2020.

 O Pe. Manuel Neiva, conjuntamente com o Sr. Arcebispo, apresentou o projeto do novo Santuário Eucarístico em honra da Beata Alexandrina.  Nas sua breves palavras o Padre Manuel Neiva, pároco e presidente da Fundação Alexandrina de Balasar apontou para “um edifício simples, nada de espectacular (…) e sendo a mensagem da Alexandrina a Eucaristia, o edifício tem de ter a forma do tabernáculo, de uma tenda. O símbolo da tenda e do tabernáculo na bíblia é o sim da presença do Senhor no meio do seu povo.”

D. Jorge Ortiga frisa a importância de se ter uma “ideia mais completa de como será o santuário, o centro de espiritualidade e acolhimento ao peregrino” e falando para os balasarenses  vincou que “Alexandrina é de Balasar e continuará a sê-lo, embora ela seja maior do que Balasar e se estenda a todo o mundo inteiro”.

Durante a tarde os cerimónias começaram com a adoração comunitária, seguida por uma palestra, com o Pe. Dário Pedroso, S.J., tendo como foco Alexandrina, Apóstola da Misericórdia. Referiu que “como a missa deve ser para cada um de nós cada dia a ação da Misericórdia Divina deste Jesus e que Alexandrina ano após ano foi uma Apóstola da Misericórdia e as pessoas sempre encontraram o apelo, uma palavra, um gesto, a promessa que iria rezar por eles. Um estimulo à mudança de vida e à conversão. Alexandrina tinha um coração do tamanho do muindo e única coisa que desejava era ser instrumento de conversão e salvação.”

A Eucaristia de festa foi presidida pelo Pe. Dário Pedroso e findou com a apresentação do projeto do Santuário Eucarístico e com a projeção do filme: Alexandrina, Serva de Deus.

Todas as celebrações contaram com uma intérprete de língua gestual. 

Meditar e Rezar com a Bíblia

EVANGELHO – Forma longa                                        Jo 9, 1-41

«Eu fui, lavei-me e comecei a ver»

 

Jesus, que no domingo anterior Se revelou como Aquele que dá a água da vida, revela-Se hoje como a luz que ilumina o homem. O cego de nascença é figura de toda a humanidade, que tacteia, neste mundo, como que às apalpadelas, a caminho da vida, caminho que só Deus lhe pode desvendar. O Baptismo é o banho que ilumina, porque nos faz mergulhar em Cristo que é a luz. Os antigos chamavam justamente ao Baptismo a “iluminação”.

 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, Jesus encontrou no seu caminho um cego de nascença. Os discípulos perguntaram-Lhe: «Mestre, quem é que pecou para ele nascer cego? Ele ou os seus pais?». Jesus respondeu-lhes: «Isso não tem nada que ver com os pecados dele ou dos pais; mas aconteceu assim para se manifestarem nele as obras de Deus. É preciso trabalhar, enquanto é dia, nas obras d’Aquele que Me enviou. Vai chegar a noite, em que ninguém pode trabalhar. Enquanto Eu estou no mundo, sou a luz do mundo». Dito isto, cuspiu em terra, fez com a saliva um pouco de lodo e ungiu os olhos do cego. Depois disse-lhe: «Vai lavar-te à piscina de Siloé»; Siloé quer dizer «Enviado». Ele foi, lavou-se e ficou a ver. Entretanto, perguntavam os vizinhos e os que antes o viam a mendigar: «Não é este o que costumava estar sentado a pedir esmola?». Uns diziam: «É ele». Outros afirmavam: «Não é. É parecido com ele». Mas ele próprio dizia: «Sou eu». Perguntaram-lhe então: «Como foi que se abriram os teus olhos?». Ele respondeu: «Esse homem, que se chama Jesus, fez um pouco de lodo, ungiu-me os olhos e disse-me: ‘Vai lavar-te à piscina de Siloé’. Eu fui, lavei-me e comecei a ver». Perguntaram-lhe ainda: «Onde está Ele?». O homem respondeu: «Não sei». Levaram aos fariseus o que tinha sido cego. Era sábado esse dia em que Jesus fizera lodo e lhe tinha aberto os olhos. Por isso, os fariseus perguntaram ao homem como tinha recuperado a vista. Ele declarou-lhes: «Jesus pôs-me lodo nos olhos; depois fui lavar-me e agora vejo». Diziam alguns dos fariseus: «Esse homem não vem de Deus, porque não guarda o sábado». Outros observavam: «Como pode um pecador fazer tais milagres?». E havia desacordo entre eles. Perguntaram então novamente ao cego: «Tu que dizes d’Aquele que te deu a vista?». O homem respondeu: «É um profeta». Os judeus não quiseram acreditar que ele tinha sido cego e começara a ver. Chamaram então os pais dele e perguntaram-lhes: «É este o vosso filho? É verdade que nasceu cego? Como é que ele agora vê?». Os pais responderam: «Sabemos que este é o nosso filho e que nasceu cego; mas não sabemos como é que ele agora vê, nem sabemos quem lhe abriu os olhos. Ele já tem idade para responder; perguntai-lho vós». Foi por medo que eles deram esta resposta, porque os judeus tinham decidido expulsar da sinagoga quem reconhecesse que Jesus era o Messias. Por isso é que disseram: «Ele já tem idade para responder; perguntai-lho vós». Os judeus chamaram outra vez o que tinha sido cego e disseram-lhe: «Dá glória a Deus. Nós sabemos que esse homem é pecador». Ele respondeu: «Se é pecador, não sei. O que sei é que eu era cego e agora vejo». Perguntaram-lhe então: «Que te fez Ele? Como te abriu os olhos?». O homem replicou: «Já vos disse e não destes ouvidos. Porque desejais ouvi-lo novamente? Também quereis fazer-vos seus discípulos?». Então insultaram-no e disseram-lhe: «Tu é que és seu discípulo; nós somos discípulos de Moisés. Nós sabemos que Deus falou a Moisés; mas este, nem sabemos de onde é». O homem respondeu-lhes: «Isto é realmente estranho: não sabeis de onde Ele é, mas a verdade é que Ele me deu a vista. Ora, nós sabemos que Deus não escuta os pecadores, mas escuta aqueles que O adoram e fazem a sua vontade. Nunca se ouviu dizer que alguém tenha aberto os olhos a um cego de nascença. Se Ele não viesse de Deus, nada podia fazer». Replicaram-lhe então eles: «Tu nasceste inteiramente em pecado e pretendes ensinar-nos?». E expulsaram-no. Jesus soube que o tinham expulsado e, encontrando-o, disse-lhe: «Tu acreditas no Filho do homem?». Ele respondeu-Lhe: «Quem é, Senhor, para que eu acredite n'Ele?». Disse-lhe Jesus: «Já O viste: é quem está a falar contigo». O homem prostrou-se diante de Jesus e exclamou: «Eu creio, Senhor». Então Jesus disse: «Eu vim a este mundo para exercer um juízo: os que não vêem ficarão a ver; os que vêem ficarão cegos». Alguns fariseus que estavam com Ele, ouvindo isto, perguntaram-Lhe: «Nós também somos cegos?». Respondeu-lhes Jesus: «Se fôsseis cegos, não teríeis pecado. Mas como agora dizeis: ‘Nós vemos’, o vosso pecado permanece».   

Palavra da salvação

 

 

Salmo Responsorial

Refrão: O Senhor é meu pastor: nada me faltará. Repete-se

Ou:        O Senhor me conduz: nada me faltará. Repete-se

 

O Senhor é meu pastor: nada me falta.

Leva-me a descansar em verdes prados,

conduz-me às águas refrescantes

e reconforta a minha alma.

 

Ele me guia por sendas direitas

Q95;por amor do seu nome.

Ainda que tenha de andar por vales tenebrosos,

não temerei nenhum mal, porque Vós estais comigo:

o vosso cajado e o vosso báculo

Q95;me enchem de confiança.

 

Para mim preparais a mesa

à vista dos meus adversários;

com óleo me perfumais a cabeça

e meu cálice transborda.

 

A bondade e a graça hão-de acompanhar-me

todos os dias da minha vida,

e habitarei na casa do Senhor

para todo o sempre.

Meditar e Rezar com a Beata Alexandrina

Alexandrina:

«Ó bom Jesus, tem compaixão. Jesus habita no santuário. Vem pecador, vem ao teu Deus. Jesus habita no Sacramento, vem, pecador, é teu Alimento. O corpo de Jesus dá vida eterna, o corpo de Jesus dá vida eterna às almas. Vem, vem pecador, vem pedir perdão. Ao teu Criador, pede compaixão. Vem, vem, pecador, anda, que te escondes.»

 (Êxtases; 12/01/1940)

 

Jesus:

«A minha paixão, a minha morte não salvou a todas porque não querem salvar-se. A tua paixão, a tua morte dará a vida eterna a todos quantos da minha Pátria quiserem gozar. Tem coragem! Ainda que o mundo tenha que sofrer grandes e graves castigos por não se reconciliar comigo será sempre salvo pelo teu sofrimento. Milhões e milhões de almas subirão por ti ao Céu.»

(Sentimentos da Alma, 29/06/1945)

Direto com Alexandrina

LIVROS


BIBLIOGRAFRIA EM PORTUGUÊS

 

 BEATA ALEXANDRINA

Autor: Pe. Humberto Pasquale, S.D.B.

Editora: Edições Salesianas 

Edição: 9ª edição (400 págs.)

Preço: 10 €

Obs: Este livro foi escrito pelo 2º diretor espiritual de Alexandrina e trata a sua vida e a mensagem de Alexandrina, detalhadamente.

 

NO CALVÁRIO DE BALASAR

Autor: Pe. Mariano Pinho, S.J.

Editora: Apostolado da Oração

Edição: 3ª edição (360 págs.)

Preço: 10 €

Obs: Este livro foi escrito pelo 1º diretor espiritual de Alexandrina e trata a vida e a mensagem de Alexandrina.

 

VÍTIMA DA EUCARISTIA

Autor: Pe. Mariano Pinho, S.J.

Editor: Pároco de Balasar

Edição: 6ª edição (106 págs.)

Preço: 9€

Obs: Este livro foi escrito pelo 1º diretor espiritual de Alexandrina e trata a Alexandrina e a sua vida eucarística.

 

VIDA INTERIOR DA BEATA ALEXANDRINA

Autor: Eugénia e Chiaffredo Signorile

Editora: Apostolado da Oração 

Edição: 3ª edição (207 págs.)

Preço: 6€

Obs: Este livro destina-se a quem quiser conhecer mais profundamente a espiritualidade de Alexandrina. 

 

LIVRO DO PEREGRINO

Autor: Fundação Alexandrina de Balasar

Editora: Fundação Alexandrina de Balasar

Edição: 1ª edição (175 págs.)

Preço: 5€

Obs: Este é um livro oracional pensado para os peregrinos devotos da Beata Alexandrina. Contém Adoração Eucarística, Via Sacra, Novena, Rosário entre outras orações litúrgicas e populares. 

 

 

CAMINHOS DE BALASAR

Autor: Pe. M.Fernando Silva

Editora: Paulinas Editora 

Edição: 1ª edição (405 págs.)

Preço: 17€

Obs: Este livro é uma biografia de Alexandrina, com uma leitura bastante acessível.

 

ALEXANDRINA, Apóstola da Eucaristia

Autor: Pe. Dário Pedroso, S.J.

Editora: Apostolado da Oração 

Edição: 1ª edição (159 págs.)

Preço:  5€

Obs: Este livro divulga a grande mensagem de Jesus sobre a devoção das quintas feiras e oferece textos e um devocionário eucarísticos.

 

Palavra e Eucaristia HORAS SANTAS

Autor: Pe. Dário Pedroso, S.J.

Editora: Apostolado da Oração 

Edição: 1º edição (223 págs.)

Preço: 6€

Obs: Este livro oferece propostas de oração para momentos de adoração eucarística.

 

ORAÇÕES DE BEATA ALEXANDRINA

Autor: Pe. José Granja

Editora: Fábrica da Igreja de Balasar

Edição: 1º edição (109 págs.)

Preço: 5€

Obs: Este livro contém várias orações dos êxtases de Alexandrina, do ano de 1941.

 

 

  PADRE MARIANO PINHO

Autor: Padre Dário Pedroso, S.J.

Editora: Fundação Alexandrina de Balasar

Edição: 1.ª edição (151 págs.)

Preço: 5€

Obs:Este livro traça o percurso da vida e obra do Pe. Mariano Pinho, 1.º diretor Espiritual da Beata Alexandrina

 

BIBLIOGRAFRIA EM INGLÊS (ver aqui)

BIBLIOGRAFIA EM ITALIANO (ver aqui)

BIBLIOGRAFIA EM ESPANHOL (ver aqui)

BIBLIOGRAFIA EM ALEMÃO (ver aqui)

BIBLIGRAFIA EM POLACO (ver aqui)

CD

CD musical "Florinha da Eucaristia"

Preço: 10 €

Editora: Paulus Editora

Faixas musicais:

1. Alexandrina Bendita (Música: Azevedo Oliveira/ Letra: Fernando Silva)

2. Mãezinha (Música: Pedro J. S. Malta/Letra: Daniel Silva/ Orquestração: Prof. Costa Gomes)

3. Exemplo a imitar (Música: Sousa Marques/ Letra: Silva Araújo)

4. Hino aos Sacrários (Música: Frei Acílio Mendes/ Letra: Beata Alexandrina/ Orquestração: Prof. Costa Gomes)

5. Nosso canto de louvor (Música: Azevedo Oliveira/ Letra: Silva Araújo)

6. Vida Eucarística (Música: Sousa Marques/ Letra: Silva Araújo)

7. Doce Sorriso (Música: Pedro J. S. Malta/ Letra: Daniel Silva/ Orquestração: Prof. Costa Gomes)

8. Vida de Fé e Amor (Música: Sousa Marques/ Letra: Silva Araújo)

9. Salve, Alexandrina (Música e Letra: Frei Acílio Mendes / Orquestração: Prof. Costa Gomes) OUVIR

POSTAIS

POSTAIS 1,00€


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Destaques
/imagens/destaques/rsz_anopastoral2016_17.jpg
Agenda
2016-2017
Ano Mariano - Fé Contemplada
30 março 2017
113º aniversário do nascimento da Beata Alexandrina
25 de abril 2017
13.º aniversário da Beatificação de Alexandrina
Localização

Ver mapa maior
ContactosMoradaHorários

Tel. Igreja: (00351) 252 951 601

Tel. Fundação: (00351) 252 951 264 

E-mail: fundacao@alexandrinadebalasar.com

Rua Alexandrina Maria da Costa, 21

4570-017 Balasar PVZ

GPS     41º 24' 17'' N    8º 37' 31'' W

 

Receção da Igreja:

segunda feira a sábado

09h00-12h30 e 14h00-18h00

domingo

09h00 às 12h45 e 14h30 às 19h00 (horário verão)

                                        ou 18h00 (horário inverno)

 

Casa da Alexandrina:

09h00-12h00 e 14h00-19h00