logotipo /imagens/bandeiras/pt.gif   /imagens/bandeiras/gb.gif   /imagens/bandeiras/it.gif   /imagens/bandeiras/es.gif   /imagens/bandeiras/fr.gif
  
Slideshow Image 1 Slideshow Image 2 Slideshow Image 3 Slideshow Image 4 Slideshow Image 5 Slideshow Image 6 Slideshow Image 7 Slideshow Image 8
Apresentação
Palavra do Pároco
Palavra de Deus e revelações privadas
Aparições e revelações
Os Santos e a interpretação da Escritura
Balasar
Beata Alexandrina
História de uma Vida
Missão
Mensagem
Espiritualidade
Mística
Colóquios
Êxtases
Orações
Fátima e Balasar
Alexandrina no mundo
Processo | Glorificação
Serviços
Horários Litúrgicos
Pastoral da Mensagem da Beata Alexandrina
Serviços aos Peregrinos
Peregrinos - Estatísticas
Destaques
Capela da Santa Cruz
Cruz de Cristo
História da Capela S. Cruz
Alexandrina e a Santa Cruz
Fundação
Protocolo
Logótipo
Corpos Gerentes
Arquivo
Notícias
Temas de Reflexão
Meditar e Rezar com a Beata Alexandrina

Notícias

2013-12-24 — VIVER O NATAL EM CRISTO

/imagens/noticias/2013/meninojesuss.jpg
2013-12-24

Celebramos a 25 de dezembro o nascimento de Jesus. Jesus veio ao mundo para nossa salvação, para salvar-nos dos pecados.

No Natal somos convidados a louvar, contemplar e adorar o Deus Menino nascido em Belém. Este Menino, com o nome de Jesus, é o nosso Salvador, o Filho de Deus.

Contemplar este Menino é contemplar o nosso Deus na sua plenitude. É contemplar a Trindade. Contemplar o Menino vendo nele apenas Jesus, sem contemplar o Pai e o Espírito Santo, não é celebrar o verdadeiro Natal, o Deus connosco.

 

Restauremos o presépio de Jesus no nosso coração, tal como dizia a Beata Alexandrina:

«Junto do Seu presépio poderemos encher os nossos corações, tão cheios do que é do mundo e tão vazios do que é de Deus. Vamos, vamos aprender com Jesus Menino a cumprir a vontade de Seu Pai que está no Céu! Vamos aprender a praticar a caridade, a amar as humilhações e os desprezos, o silêncio e a pobreza! O Rei do Céu o Senhor de toda a Terra, fez-se o mais pequenino entre os Homens. Aprendamos d’Ele e peçamos-lhe para nós, para as nossas famílias, toda a graça, toda a pureza e amor, coragem e força para abraçarmos a cruz com força, a alegria e heroísmo dos santos!»

(Trecho de uma carta à Sra. Ana Pimenta Machado; Natal de 1948)

 

É se salientar, que em Balasar, os habitantes de vários lugares uniram-se e construíram na rua presépios para receber e celebrar com mais fé a vinda do Menino Jesus neste Natal.

 

Que o Deus Menino Encarne em cada um de nós!

Santo Natal e Feliz Ano Novo,

São os votos da Fundação Alexandrina de Balasar e dos responsáveis do Santuário a todos os devotos e amigos da Beata Alexandrina espalhados por todo o mundo.

2013-12-08 — CELEBRAR MARIA EM ADVENTO

/imagens/noticias/2012/icmaria.jpg
2013-12-08

Em tempo de Advento, a caminho do Natal, somos convidados a olhar para Maria, a Imaculada Conceição, a Senhora do Advento, e reconhecer nela o modelo de como acolher Jesus.

Como sabemos, a Beata Alexandrina tinha grande devoção e amor por Nossa Senhora, a quem chamava Mãezinha. O seu amor à Mãezinha pode ajudar cada um de nós a celebrar e viver o dia da Imaculada Conceição. Com essa finalidade transcrevemos estes textos da Beata Alexandrina.

 

Em 8/9/1933, escrevi nas costas de um retrato meu, assim:

“Ave, Maria, eu vos saúdo, ó minha Mãe Santíssima. Ó minha querida Mãezinha, que hei-de eu dar-Vos no dia do Vosso aniversário? Não tenho mais nada que Vos dar, dou-Vos o meu corpo e a minha vida. Quero ser toda Vossa. Não rejeiteis a minha oferta, ó minha querida Mãe. Rogai a Nosso Senhor por mim, ouvistes? Quero ser toda, toda Vossa. Dou-Vos quanto tenho.

Ó meu Jesus, não rejeiteis nada do que peço à Vossa Santa Mãe!

Sois minha Mãe muito querida. Oh, quem me dera ter uma boa oferta para Vos dar, mas ao menos tenho a boa vontade! Dai-me o Céu!”

(S.A.; 08/09/1933)

 

Em 31 de maio de 1936 escrevi assim:

“Mãezinha: eu venho humildemente aos Vossos santíssimos pés depor as flores espirituais que durante o mês colhi. Estou envergonhada e confundida. Que pobreza! Em que estado Vo-las entrego! Estão tão murchas, tão desfolhadas! Mas Vós, ó querida Mãezinha celestial, podeis transformá-las. Reverdescei-as, abrilhantai-as e ide consolar e perfumar com elas a Jesus por mim. Falai-Lhe das minhas penas e das minhas aflições. Bem sabeis tudo que me faz estar atribulada. Fazei-Lhe comigo de novo todos os meus pedidos e despachai Vós, em nome de Jesus, Vo-lo peço, as pobres flores por quem foram oferecidas. Fazei de um modo particular que com todas elas eu faça um belo ramalhete para oferecer ao Santo Padre, neste dia do seu aniversário.

Querida Mãezinha, neste último dia do Vosso mês bendito, como despedida, já que nada mais tenho para Vos dar, dou-Vos todo o meu corpo e Vos peço, por quem sois, que mo guardeis e me tomeis para sempre nos Vossos Santíssimos braços como Vossa filha muito querida.

Abençoai-me, pedi a Jesus Sacramentado que me abençoe também e toda a Santíssima Trindade.

Adeus, Mãezinha, perdoai-me tudo.

A pobre Alexandrina Maria da Costa” 

(Autobiografia)

 

«Honra e glória ao Senhor nos altos céus. Chegou enfim o dia da minha alegria, e de todos os que são verdadeiramente devotos da querida Mãezinha.

Ó Virgem da Assunção. Ó Mãezinha Imaculada mais que os anjos pura e bela. Criou-Vos o Senhor tão pura, tão pura com a Sua mesma pureza, criou-Vos para serdes sua mãe.

Oh como és bela e imaculada em Ti não há mancha de pecado. Ó céus falai de mim, por mim aclamai à Mãe do Senhor e Mãe nossa, a Rainha dos céus e da terra. Ó Mãezinha sou Tua faz-me pura.»

 (Diário Autógrafo; 31/10/1950)

2013-11-29 — CELEBRAR E VIVER O ADVENTO

/imagens/noticias/2013/coroaadvento.jpg
2013-11-29

O Advento é o começo de um novo ano litúrgico de forte mística cristã. É tempo de espera e esperança, de estarmos atentos e vigilantes, preparando-nos alegremente para a vinda do Senhor, o qual nos leva a refletir os nossos valores enquanto cristãos firmes na fé e também como tempo de conversão.

Neste ano saibamos despertar para Deus, refletir sobre a nossa vida no dia-a-dia e no tempo que dedicamos a Ele.

 

Tenhamos como exemplo a vida da Beata Alexandrina, a demonstração de amor que ele nutria por Jesus e a união da sua alma à igreja. Saibamos também, neste tempo de Advento, prepararmo-nos para a vinda de Jesus. Reflitamos nas suas palavras:

«E agora, que lhes hei-de dizer? Que estamos no Advento, que nos devemos preparar para a vinda de Jesus com a maior perfeição e graça nas nossas almas. Que Jesus Menino encontre dentro de nós um presépio cheio de alvura e fofinho, no qual Ele possa repousar dignamente! Ah, sim! Se vivermos para Jesus, vivemos para toda a gente, em tudo cumprimos os nossos deveres, aceitamos a cruz com todos os seus espinhos como vinda das mãos de Deus para nosso bem e santificação.

Todo o amargo, todo o fel, toda a mirra, sofrimento e mortificação tem para nos encantos e doçura de mel.

Que grande dita se cumprimos os nossos deveres para com Deus. Podemos dizer: Vive Cristo em mim, eu n’Ele, a sua vida e a minha vida. Não tenho nem quero ter outro amor que não seja Ele.»

(Carta a um casal amigo; 13/12/1951)

2013-11-13 — BEATA ALEXANDRINA E A SALVAÇÃO DAS ALMAS

/imagens/noticias/2013/salvarasalmas..jpg
2013-11-13

No mês de Novembro, celebramos o mês das almas. A Beata Alexandrina foi um exemplo de amor para a salvação das almas. Ofereceu-se como vítima para salvar almas, para as salvar do pecado.

Neste mês rezemos por todas as almas, que precisam da nossa oração, não esquecendo o exemplo da Beata Alexandrina e peçamos a Jesus a salvação das almas pecadoras.

 

Lembremos e meditemos num dos colóquios em que Jesus chamou a Beata Alexandrina de “Pescadora de Almas”, pois o seu maior desejo era poder salvar e oferecer as almas pecadoras a Ele:

 

Jesus: “Vem, Minha filha ao Meu coração de Esposo, ao Meu coração de Pai. Levanta-te! Coragem, coragem! Vem a este Coração que te ama loucamente e tu amas loucamente. Vem a este Coração que te pede. Faz, faz que Eu seja amado. Fala do Meu amor. Distribui o Meu amor. Vem, Minha louquinha, vem, pescadora das almas. Repara, olha no amor, no universo os pescadores a lançar as suas redes para ganharem o seu pão e para o alimento corporal da humanidade. As tuas redes são outras. Ó pescadora de Jesus, olha para Mim. Tu lanças-te as redes da dor e do amor neste mar infindo de tanto martírio. Eu puxo para Mim as redes, sobem para Mim as almas.»

Alexandrina: Vi os dois mares: o mar do peixe e o mar das almas. Neste estava só Jesus. Como Ele puxava as redes!... Que diferença entre os outros pescadores. A de Jesus multiplicava-se infinitamente.

Jesus: “O mundo peca, o mundo está louco. É preciso, é urgente sustentar o braço de Meu Pai. Repara, pescadora, sofre no teu mar inaudito para que as almas se salvem aos milhões.”

(Sentimentos da Alma; 02/06/1955)

2013-10-31 — COMEMORAÇÃO DO 71.º ANIVERSÁRIO DA CONSAGRAÇÃO DO MUNDO AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

/imagens/menus/nossa_senhora.jpg
2013-10-31

Celebra-se, hoje, dia 31 de outubro, o 71.º aniversário da primeira Consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria. Jesus pediu a Alexandrina que o mundo fosse a Ela consagrado para sua glorificação e salvação das almas.

 

É de salientar que foi, também, através da Beata Alexandrina, com a ajuda do Pe. Mariano Pinho, S.J., que se concretizou a Consagração, realizada pelo Papa Pio XII a 31 de outubro de 1942.

 

Assim diz Jesus a Alexandrina: 

«Porque Eu quero que logo depois da tua morte, a tua vida seja conhecida, e há-de o ser, farei que ela o seja. Chegará aos confins do mundo, assim como terá chegado a voz do Papa, a consagrar o mundo à Minha querida Mãe. Quero que tudo se saiba para verem como Eu Me comunico às almas que Me querem amar. [...]

Minha filha, Eu venho buscar-te em breve, mas não quero vir sem que antes seja feita a Consagração do mundo a Minha Mãe Santíssima. Ela é por teu intermédio glorificada, e maior será também a tua glorificação.»

(C.M.P; 1937)

Esta data será comemorada, nesta quinta-feira, na Eucaristia às 20h00, seguida de Adoração Eucarística. 

2013-10-15 — BALASAR CELEBROU A FESTA LITÚRGICA COM MUITO ENTUSIASMO

/imagens/noticias/2013/consagracao13.jpg
2013-10-15

No passado domingo, dia 13 de outubro, Balasar celebrou a festa litúrgica da Beata Alexandrina, no 58º aniversário da sua morte.

 

A chuva não foi impedimento para milhares de peregrinos – os responsáveis calcularam uma média de 5 mil – que acorreram, provenientes de diversas zonas do país, chegando desde manhã bem cedo até ao fim da tarde, depois de uma viagem a pé, de carro ou autocarro.

 

Das atividades realizadas ao longo do dia, ressalta a peregrinação promovida pela paróquia de Balasar, com saída da Igreja da Matriz da Póvoa de Varzim. A esta peregrinação aderiram cerca de 80 peregrinos. Também a Eucaristia do doente teve uma grande adesão de peregrinos. A Igreja foi pequena para acolher tantos peregrinos.

 

Na homilia da Eucaristia festiva, à tarde, presidida pelo Pe. Dário Pedroso, S.J., este mencionou a Beata Alexandrina como um verdadeiro modelo para os cristãos, cujas virtudes devem ser imitadas no quotidiano. Alertou ainda para a autêntica fé que não se deixa confundir com superstições, mas confia incondicionalmente em Deus, como fez Alexandrina. No momento de Ação de graças fez-se a Consagração ao Imaculado Coração de Maria.

 

A celebração terminou com a projeção de um D.V.D., encenações e canções em honra da “Mãezinha”. O D.V.D. apresentou um pequeno resumo da história sobre a devoção do povo português a Nossa Senhora e ao seu Coração Imaculado, do contributo da Beata Alexandrina para que o mundo fosse consagrado ao mesmo Coração, assim como os pedidos precedentes e também uma pequena alusão à irmã Lúcia e à sua acão.

 

A Igreja alegra-se no dom da vida e mensagem da Beata Alexandrina.

 

 

 

2013-10-04 — .

/imagens/menus/oracao/oracaons.jpg
2013-10-04

ALEXANDRINA

E A CONSAGRAÇÃO DO MUNDO AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

 

 

Devoção ao Imaculado Coração de Maria

 

Os primeiros cristãos prestaram veneração à Virgem Maria e a Igreja Católica recomenda vivamente a confiança à intercessão de Nossa Senhora: «Eis aí a tua Mãe.» (Jo 19; 27)

Entre os vários títulos marianos e devoções particulares, encontra-se a devoção ao Imaculado Coração de Maria. Porquê Imaculado Coração? O coração simboliza a vida e o amor, a nossa casa interior, que só o Espírito de Deus pode sondar e conhecer.

O Papa emérito Bento XVI explica-nos que o Coração de Maria é um “Coração aberto a Deus, purificado pela contemplação de Deus, é mais forte que as pistolas ou outras armas de qualquer espécie. O fiat (sim) de Maria, a palavra do seu Coração, mudou a história do mundo, porque introduziu neste mundo o Salvador: graças àquele «Sim», Deus pôde fazer-Se homem no nosso meio e por isso permanece para sempre.” Coração – imaculado – pois a Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceção foi preservada imune de toda mancha do pecado original.

A devoção ao Imaculado Coração de Maria tem raízes bíblicas: no Evangelho de S. Lucas onde está escrito que Maria “guardava todas estas coisas no seu coração.

Apesar de já se falar do Coração de Maria, é no séc. XVII, que S. João Eudes renova a propagação desta devoção.

No séc. XIX, Nossa Senhora pede a Sta. Catarina Lauboré para preparar uma medalha conforme as suas explicações: a “medalha milagrosa”, ondes os dois corações se encontram lado a lado.

No ano de 1917, Nossa Senhora manifesta-se a três crianças, por seis vezes, em Fátima. Na segunda aparição, Maria revela a luz do Coração. A Irmã Lúcia conta: «(Nossa Senhora) abriu as mãos e nos comunicou, pela segunda vez, o reflexo dessa luz imensa. Nela nos víamos como que submergidos em Deus. A Jacinta e o Francisco parecia estarem na parte dessa luz que se elevava para o Céu e eu na que se espargia sobre a terra. À frente da palma da mão direita de Nossa Senhora, estava um coração cercado de espinhos que parecia estarem-lhe cravados. Compreendemos que era o Imaculado Coração de Maria, ultrajado pelos pecados da humanidade, que queria reparação.»

 

 

 

Devoção de Alexandrina ao Imaculado Coração de Maria

 

Alexandrina nutria verdadeiro amor a Maria, a quem tão carinhosamente chamava «Mãezinha». Ela esteve sempre muito presente na sua vida, nas alegrias e tristezas como verdadeira Mãe Celeste. Ao ditar as disposições para o seu túmulo, Alexandrina pediu humildemente uma imagem do Coração Imaculado de Maria pois «foi Ela quem me ajudou a subir o caminho doloroso do meu calvário, acompanhando-me e amparando-me até aos últimos momentos da minha vida.» (Autobiografia; pág.65)

«E, se nesta idade manifestava os meus defeitos, também mostrava o meu amor para com a Mãe do Céu e lembro-me com que entusiasmo cantava os versinhos a Nossa Senhora e até me recordo do primeiro cântico que entoei na Igreja, que foi:“Virgem pura, tua ternura, etc.”

Gostava muito de levar flores às zeladoras que compunham o altar da Mãezinha.»

(Autobiografia; pág. 3)

 

Orações diárias de Alexandrina

São muitos os colóquios e experiências místicas de Alexandrina com a Mãezinha. São muitas e belas as orações de Alexandrina à Mãezinha.

Alexandrina junto da imagem de Nossa Senhora Auxiliadora

 

«Voltada para a Mãezinha, dizia-lhe:

“Avé Maria, cheia de graça! Eu Vos saúdo, ó cheia de gra­ça! Ó Mãezinha, eu quero ser santa; ó Mãezinha, abençoai-me e pedi a Jesus que me abençoe!”

E consagrava-me a Ela assim:

“Mãezinha, eu Vos consagro os meus olhos, meus ouvidos, minha boca, meu coração; a minha alma, a minha virgindade, a minha pureza, a minha castidade; a pureza e a virgindade de ....

Aceitai, Mãezinha, é vossa, sois vós o cofre sagrado, o cofre bendito da nossa riqueza. Consagro-vos o meu presente e o meu futuro, a minha vida e a minha morte, tudo quanto me derem a mim, rezarem por mim e oferecerem por mim.”» (Autobiografia; pág. 21/22)

 

 

 

Pedido de Consagração    

 

Foi desta simples e humilde aldeia do norte de Portugal, de uma humilde doente, que não estudou num colégio nem conheceu conventos religiosos, apenas com a instrução religiosa de uma paróquia rural, que partiu o pedido de Jesus ao Santo Padre para consagrar o mundo ao Imaculado Coração de Maria.                                               

No ano de 1935, Alexandrina já contava com 3 anos de amizade com um sacerdote jesuíta – Pe. Mariano Pinho. Ele era o seu guia espiritual, auxílio no seu caminho de fé.

A de 30 de julho de 1935, Jesus fala assim a Alexandrina:

«Manda dizer ao teu Pai espiritual (o Pe. Mariano Pinho) que em prova do amor que dedicas à Minha Mãe Santíssima, quero que seja feito todos os anos um Ato de Consagração do mundo inteiro num dos dias das suas festas escolhidas por ti: ou Assunção, Purificação ou Anunciação, pedindo a esta Virgem sem mancha de pecado, que envergonhe e confunda os impuros, para que eles arrecuem no caminho e não Me ofendam. Assim como pedi a santa Margarida Maria para ser o mundo consagrado ao Meu Divino Coração assim o peço a ti para que seja consagrado a Ela com uma festa solene.»

Um ano depois, o Pe. Mariano Pinho escreve para Roma, para o Papa Pio XI, falando deste mesmo pedido. A carta chega até ao Secretário do Santo Padre, o Cardeal Pacelli.

 

 

1.º exame da Santa Sé

Em 1937, a Santa Sé solicitou informações sobre o caso de Balasar ao Arcebispo de Braga, através da Nunciatura de Lisboa. Esta encarrega o Provincial dos Jesuítas, o Pe. Paulo Durão, S.J., de escolher uma pessoa que pudesse examinar de perto a Alexandrina. O Provincial escolheu o Pe. António Durão, S.J., seu irmão.

Depois da visita a Alexandrina, reconheceram as suas virtudes, mas lamentaram não haver um sinal que provasse que esse pedido vinha de Deus.

Em novembro desse ano, Jesus diz Alexandrina: «Minha filha, Eu venho buscar-te em breve, mas não quero vir sem que antes seja feita a Consagração do mundo a Minha Mãe Santíssima. Ela é por teu intermédio glorificada, e maior será também a tua glorificação.»

Em 1938, Jesus pediu a Alexandrina que dissesse ao seu diretor espiritual:«Diz-lhe (ao Pe. Mariano Pinho) que escreva ao Santo Padre, Eu que quero a Consagração do mundo à Minha Imaculada Mãe. Mas quero que todo o mundo saiba a razão porque Lhe é consagrado. (…) Só por ela poderá ser salvo. E se ele fizer penitência e se converter! Ela é a Minha Rainha, a Rainha do Céu e da Terra.»

No mês de junho de 1938, o Pe. Mariano Pinho pregou os Exercícios Espirituais ao Episcopado Português, em Fátima. Deste modo, contribuiu para que Bispos fizessem o pedido da Consagração ao Papa Pio XI.

No dia 3 de outubro desse ano, Alexandrina começa a viver todas as sextas-feiras, a Paixão de Jesus, visível.

 

2.º exame e o contributo do Cónego Vilar

Como resposta às comunicações do Pe. Mariano Pinho, o Santo Ofício ordenou que se fizesse uma nova investigação à Alexandrina. Ficou encarregado de a realizar o Cónego Manuel Pereira Vilar, reitor do Seminário de Braga.

O Cónego Vilar assistiu à Paixão, no dia 13 de janeiro de 1939. Este fenómeno extraordinário vem como o “sinal” esperado. Nesse dia, durante a Paixão, Jesus afirma que era aquela a prova esperada e que Alexandrina deveria viver a Paixão até que o Santo Padre se decidisse a realizar a Consagração a Maria. O Cónego Vilar mudou-se para Roma e lá, dedicou-se a esta causa, vindo a falecer pouco tempo depois.

Dois meses, depois, morre o Papa Pio XI. O Cardeal Pacelli é eleito Pio XII.

Poucos dias depois, Jesus revela a Alexandrina que seria este Papa a realizar a Consagração: «Digo-lhe como é lindo no princípio do reinado dele absoluto no mundo ficar na História a Consagração do Universo à Vossa Imaculada Mãe.»

Nesse ano de 1939, dá-se início à II Guerra Mundial que durará até 1945. Neste flagelo, Jesus pede frequentemente a Alexandrina que lhe ofereça sacrifícios em reparação da maldade humana e que se apresse a Consagração.

Uns anos atrás, já Jesus convidava Alexandrina: «E no meio de tantos algozes queres, Minha querida filha, participar comigo de toda a Minha Paixão? Oh! Não Me dês uma negativa! Ajuda-me na redenção do género humano!»

Alexandrina correspondia generosamente: “Não, Jesus, crucificai-me, mas dai a todas as almas uma eternidade feliz. Dai-lhes o Céu, dai-lhes o Vosso amor.”

Em dezembro de 1939, Jesus diz a Alexandrina: «O Coração da Minha Bendita Mãe está tão ferido com as blasfémias que contra Ela se proferem! Tudo o que fere o Seu Santíssimo Coração vem ferir o Meu e tudo o que fere o Meu vai ferir o dela.Estão tão unidos os Nossos Divinos Corações! É por isso que a Consagração do mundo Lhe há-de dar muita honra e glória. Ao ele lhe ser consagrado, hão-de ser abatidas e humilhadas aquelas línguas malditas, blasfemas, impuras, que se moverem para a blasfemar. Coragem, Minha filha, que dentro em pouco tudo será realizado e depois verás no Céu a glória que Lhe foi dada.»

Jesus insistia na Consagração. Em 1941, a Alemanha já tinha conquistado vários países da Europa. O mundo estava em guerra! Disse Jesus a Alexandrina em maio de 1941: «Diz ao teu Paizinho que lhe pede Jesus e Maria que escreva ao Papa para que Ele consagre o mundo ao Imaculado Coração da Virgem Mãe. Toda a Humanidade está a agonizar debaixo do peso da justiça do Eterno Pai. Só Ela o poderá salvar.»

O Pe. Mariano Pinho, por intermédio da Madre Vigária das Irmãs de S. José de Cluny, animou diversas Congregações religiosas portuguesas e estrangeiras para que fizessem chegar ao Papa o pedido da Consagração do mundo, por ocasião do seu jubileu episcopal. Animou também os Primazes de Espanha, Colômbia e Inglaterra para que apoiassem o pedido junto de Sua Santidade. Além disso, na sua qualidade de Diretor Nacional das Congregações Marianas, o P. Pinho dirigiu com o mesmo fim uma súplica a Santa Sé.

 

3.º exame da Santa Sé

Pio XII pediu informações através do Secretário de Estado - Luis Maglione.

Entretanto, os bispos reunidos em Fátima voltam a escrever ao Santo Padre Pio XII sugerindo os 25 anos das aparições de Nossa Senhora em Fátima, como a ocasião ideal para Consagração mundial a Maria. 

A março de 1942, Alexandrina deixa de viver a Paixão de Jesus. Recordando o que Jesus lhe dissera à 3 anos atrás, ela teria de viver a Paixão até que o Santo Padre se decidisse realizar a Consagração do mundo a Maria. Tudo indica que esse momento tinha chegado.

Nas vésperas da Consagração, diz Jesus a Alexandrina: “Depressa, depressa a Consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria. [...] Depressa, depressa, consagre-se o mundo à Rainha dele. Então virá a paz, raiará o sol em toda a humanidade. Jesus não falta ao que promete.

São conhecidos os pedidos vindos de várias partes dirigidas ao Santo Padre… mas não teria Alexandrina e o seu diretor espiritual um papel especial?

Para alguns estudiosos, sim!

 

 

 

Finalmente, a Consagração

 

No dia 31 de outubro de 1942, o Papa Pio XII consagra a Igreja e o género humano ao Coração Imaculado de Maria, em Roma.

Num dia de sábado, pelas 19h00 no Vaticano, o Santo Padre dirige uma Radiomensagem em língua portuguesa para Fátima, na presença de 500 mil peregrinos. O Papa associou-se às celebrações dos 25 anos das aparições de Fátima aproveitando o facto de também ele celebrar neste ano os 25 anos da sua ordenação episcopal.

O Santo Padre começou por felicitar os presentes, louvando a Deus e a Virgem Santa Maria. A sua mensagem foi dividida em três partes: Gratidão, Confiança e Súplica.

GRATIDÃO à “Virgem Senhora, Rainha e Mãe da sua Terra de S. Maria”, que vinha favorecendo Portugal, pois gozava de paz em plena guerra mundial. O Papa Pio XII declarou que Portugal vinha dando graças a Maria, fazendo menção das celebrações marianas em Fátima e à Cruzada Eucarística das Crianças.

CONFIANÇA – O Santo Padre continuou afirmando que era justo confiar em Maria, garantindo uma maior proteção. Frisou também que era necessário esforço “por não desmerecer o singular favor da Virgem Mãe, antes, como bons filhos, agradecidos e amantes, conciliem cada vez mais o seu materno carinho

Ainda disse: “Feliz do povo cujo Senhor é Deus, cuja Rainha é a Mãe de Deus! Ela intercederá e Deus abençoará o seu povo com a paz, compêndio de todos os bens…”

SÚPLICA – O Santo Padre animou à oração referindo-se à guerra mundial e exclamou: “Rainha do Santíssimo Rosário, auxílio dos cristãos, refúgio do género humano, vencedora de todas as grandes batalhas de Deus! Ao vosso trono súplices nos prostramos, seguros de conseguir misericórdia e de encontrar graça e auxílio oportuno nas presentes calamidades, não pelos nossos méritos, de que não presumimos, mas unicamente pela imensa bondade do vosso Coração materno. (…)

A Vós, ao vosso Coração Imaculado, nesta hora trágica da história humana, confiamos, entregamos, consagramos não só a Santa Igreja, corpo místico de vosso Jesus, que pena e sangra em tantas partes e por tantos modos atribulada, mas também todo o mundo, dilacerado por exiciais discórdias, abrasado em incêndios de ódio, vítima de suas próprias iniquidades.”

Pio XII finalizou a Mensagem com uma bênção apostólica.

 

 

 

Recomendação do Santo Papa Pio XII

 

O mesmo Sumo Pontífice Pio XII, em maio de 1948, recomendava vivamente que a «Consagração se renovasse não só em cada diocese e paróquia, mas em cada família».

 

“Ao vosso Coração nos acolhemos, Santa Mãe de Deus!”

 

2013-10-03 — CELEBRAÇÃO DO 58º ANIVERSÁRIO DA MORTE DA BEATA ALEXANDRINA

/imagens/noticias/2013/13out2013.png
2013-10-03

No dia 13 de outubro, celebra-se o 58º aniversário da morte da Beata Alexandrina Maria da Costa.

 

Para este grande dia, em que centenas de pessoas peregrinam ao Santuário de Balasar, foram programadas várias celebrações.

 

A manhã deste domingo será dedicada à Eucaristia Dominical e a parte da tarde será dedicada ao louvor à Beata Alexandrina e também relembrar a Consagração ao Mundo do Imaculado Coração de Maria.

 

Segue o programa:

 

Parte de manhã:

07h00: Eucaristia pelo Povo

09h00: Eucaristia do Peregrino

10h30: Eucaristia e Bênção dos doentes

12h00: Eucaristia

 

Parte da tarde:

15h00: Adoração Eucarística

"Imaculado Coração de Maria"

16h00: Oração de Vésperas

17h00: Eucaristia da Festa 

 

Consagração ao Imaculado Coração de Maria

Vídeo: “Celebrar a Fé na História”

Participação: Grupo de Jovens

Grupo Coral Paroquial

Grupo Musical Santa

 

Todos estão convidados para este dia de celebração e de festa.

 

Quem desejar também pode participar nas cerimónias em direto no site oficial .

2013-09-25 — CERIMÓNIA FÚNEBRE DO PE. FRANCISCO DIAS DE AZEVEDO

2013-09-25

Realizaram-se hoje, dia 25, com início às 10 horas, as celebrações fúnebres do Pe. Francisco Dias de Azevedo, que foi Pároco de Balasar desde 1956 a 2004, e grande obreiro da Causa da Beata Alexandrina.

A Eucaristia foi presidida pelo Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, e concelebrada por cerca de sete dezenas de sacerdotes da Arquidiocese de Braga e ordens religiosas. Marcaram presença, também, as entidades civis, paroquianos e peregrinos, manifestando a amizade e admiração, e prestar a última homenagem e adeus ao Pe. Francisco.

Partindo das leituras da Eucaristia do dia, o sr. Arcebispo convidou todos os presentes a assumirem a sua missão de cristãos: anunciar a Boa Nova. Referindo-se ao Pe. Francisco destacou a sua paixão e grande obra: a Causa da Beata Alexandrina.

O corpo do Pe. Francisco foi sepultado na capela jazigo onde a Beata Alexandrina esteve, e onde se encontram os restos mortais do Pe. Mariano Pinho. Para esta capela também serão transladados os restos mortais da mãe e irmã da Beata Alexandrina.

 A Fundação Alexandrina de Balasar vai fazer desta capela um mausoléu para sepultura das pessoas mais diretamente relacionadas com a Beata Alexandrina. Será um memorial da Causa.

                                   

2013-09-24 — FALECEU O PE. FRANCISCO DIAS DE AZEVEDO

2013-09-24

É com muito pesar que damos a triste notícia do falecimento do Pe. Francisco Dias de Azevedo, antigo pároco de Balasar e um grande impulsionador para a beatificação de Alexandrina Maria da Costa

 

O sacerdote de 85 anos de idade, natural da freguesia de Santa Maria de Oliveira, concelho de Vila Nova de Famalicão, foi ordenado no ano de 1953. Embora permanecesse na paróquia de Castelões por 3 anos, foi à paróquia de Balasar que o Pe. Francisco Azevedo dedicou a sua vida. Aqui, promoveu o desenvolvimento da animação pastoral e litúrgica, com especial atenção à música.

 

Em 1956, um ano após a morte da Beata Alexandrina, o Arcebispo de Braga de então – D. António Bento Martins Júnior – nomeou-o pároco de Santa Eulália de Balasar. Abraçou com toda a coragem a Causa de Alexandrina Maria da Costa: iniciou e concluiu todo o Processo para a Beatificação. Para a difusão da vida e mensagem da Beata Alexandrina, deu nova vida ao “Boletim de Graças”. Incansavelmente, convicto da verdade da Causa.

Durante todos estes anos, desde a abertura do Processo Informativo para a beatificação da Alexandrina, vive a alegria de a ver ser Venerável, a 12 de janeiro de 1996 e, mais tarde, no dia 25 de abril de 2004 tem o fruto da sua obra: a beatificação de Alexandrina Maria da Costa.

Nesse mesmo ano, com 51 anos de sacerdote, foi dispensado dos serviços paroquiais de Balasar.

Faleceu no dia 23 de Setembro de 2013, deixando um grande trabalho e dedicação à mensagem e vida da Beata Alexandrina.

O seu funeral realizar-se-á, na quarta feira, dia 25 de setembro, pelas 10 horas.

Paz à sua alma! Descanse em paz junto de Cristo.

 

NOTA BIOGRÁFICA:

1928 | Pe. Francisco Dias de Azevedo nasceu no dia 23 de janeiro em Santa Maria de Oliveira, V.N. Famalicão.

1941 | Entrou para o seminário de Braga.

1953 | Recebeu a Ordenação Sacerdotal, na capela do Seminário Conciliar de Braga, a 2 de julho. Nesse ano, foi nomeado Pároco de Castelões, V.N. de Famalicão, permanecendo até setembro de 1956.

1956  | A 30 de setembro, inicia as suas funções de Pároco na paróquia de Sta. Eulália de Balasar.

1968 | Funda o Grupo Coral Litúrgico de Balasar, em 1968. Fundou e ensaiou o Grupo Coral da paróquia de Rio Mau, Vila do Conde. Promoveu e foi responsável pela construção da atual residência paroquial.

1978 | Realiza obras de restauro e ampliação na igreja paroquial. Nesse ano, o corpo de Alexandrina é trasladado para a Igreja paroquial.

Adquiriu o terreno do centro pastoral; terreno e casa da ponte; casa e terreno junto do adro da Igreja.

2004 | Em julho, é dispensado dos serviços paroquiais de Balasar.

2013 | A 3 de julho completou 60 anos de vida sacerdotal, celebrando as Bodas de Diamante

          Faleceu no dia 23 de setembro

 

               Pe. Francisco Dias de Azevedo (à esquerda),

                junto da campa da Alexandrina

2013-09-20 — BISPO E VICE POSTULADORA DA BEATA CHIARA LUCE BADANO PEREGRINARAM A BALASAR

/imagens/noticias/2013/bispoacqui.jpg
2013-09-20

Ontem, Balasar acolheu dois peregrinos vindos de Itália: o Bispo Emérito de Acqui – D. Lívio Maritano – e a Vice postuladora da Causa da Beata Chiara Luce Badano – Mariagrazia Magrini.

 

D. Lívio Maritano foi eleito Bispo de Acqui em 1979 e resignou em 2000. É carinhosamente associado a Chiara Luce Badano, uma jovem que já é venerada em todo o mundo pela sua vida ativa e pelo seu forte desejo de santidade. O bispo conviveu com Chiara: foi dele que recebeu o Sacramento da Confirmação e visitava-a inúmeras vezes no hospital, durante os últimos meses da sua doença, da qual veio a morrer. D. Lívio tomou a iniciativa de abrir o processo de beatificação de Chiara, explicando que “o seu testemunho fosse significativo, especialmente para os jovens. Também hoje a santidade é necessária.”.

 

Ambos associaram-se às celebrações eucarísticas de quinta-feira no Santuário. Depois da Eucaristia, a assembleia assistiu a um pequeno vídeo sobre Chiara Luce Badano, seguido por uma explicação da vida da Beata realizada por Mariagrazia. A celebração foi concluída com uma adoração eucarística.

 

Na manhã de hoje, visitaram os locais relacionados com a Beata Alexandrina e celebraram a Eucaristia no seu quarto. Esta peregrinação veio aprofundar a alegria e a gratidão por dois modelos de santidades que partilharam o profundo amor a Jesus e ao próximo, na saúde e na doença.

 

D. Lívio Maritano e Mariagrazia Magrini (à direita)

 

Celebração da Eucaristia no quarto de Alexandrina

2013-08-01 — LIVRO DA BEATA ALEXANDRINA DE HUMBERTO PASQUALE EM ÁUDIO

/imagens/noticias/2013/livro_alexandrina.jpg
2013-08-01

O livro do Pe. Humberto Pasquale, S.D.B., “Beata Alexandrina” já se encontra em suporte áudio na Biblioteca Pública Municipal do Porto.

 

A pedido de devotos da Beata Alexandrina, a Biblioteca Sonora realizou a gravação em áudio de um dos livros mais célebres sobre a mesma, escrito pelo seu segundo diretor espiritual e o maior biógrafo. A primeira edição data de 1957, tornando-se o segundo livro biográfico da Beata Alexandrina.

 

O livro pode ser requisitado gratuitamente em suporte áudio por pessoas invisuais mediante o Atestado Médico de Incapacidades Multiusos, na Biblioteca Sonora do Porto. O som digital é constituído por 33 ficheiros mp3: 882 MB; 975 min. A leitura ficou a cargo de Lília Trindade.

 

Este é mais um passo que foi dado, para a divulgação da vida espiritual da Beata Alexandrina, para que a história da sua vida consiga chegar a todas as pessoas que desejam conhecê-la melhor interiormente.

2013-07-16 — FOI LANÇADO O PRIMEIRO LIVRO DO PE. MARIANO PINHO, S.J.

/imagens/noticias/2013/livromarianopinho.jpg
2013-07-16

No dia 11 de Julho de 2013, faz cinquenta anos que faleceu, no Recife, no Brasil, o Padre Mariano Pinho, Jesuíta, director espiritual da Beata Alexandrina e seu primeiro biógrafo.

Insistiram comigo para que, servindo-me do material dos artigos sobre o P. Mariano que escrevi no Boletim da Causa da Beata, e com outros elementos, levasse por diante o empreendimento de escrever este pequeno livro para assinalar as bodas de oiro da morte do “santo” confessor e director espiritual da Beata, cujos restos mortais estão agora no cemitério de Balasar.

Meu confrade e companheiro, o Padre Mariano Pinho, membro da Companhia de Jesus, tem direito a ser mais conhecido e mais estimado.

É com gosto que fiz este trabalho tendo bem consciência que, mais tarde, outros poderão e deverão publicar livro de maior envergadura, com análise histórica mais rigorosa, etc. Agora, para o cinquentenário da morte, sai este, simples e pequeno, mas com o grande desejo de fazer conhecer e venerar tão grande e “santo” sacerdote, meu irmão jesuíta, que tanto sofreu por Jesus e pela Igreja e tanto ajudou a nossa Beata Alexandrina.

Possam estas páginas serem contributo simples mas eficaz, quem sabe, para lançar a semente do início do processo da Causa da Canonização do Padre Mariano Pinho. Que Deus e a Beata Alexandrina se dignem abençoar este trabalho.

Que os devotos da Beata e do P. Mariano Pinho, possam encontrar aqui mais material para a oração e para o conhecimento da vida e obra do grande sacerdote, mestre espiritual, “santo” de grande virtude e de muito sofrimento.

Pe. Dário Pedroso, S.J.

2013-07-15 — CELEBRAÇÃO DOS 50 ANOS DA MORTE DO PE. MARIANO PINHO

/imagens/noticias/2013/Pmarianopinho.jpg
2013-07-15

Celebrou-se ontem, em Balasar, a homenagem ao Pe. Mariano Pinho, primeiro diretor espiritual da Beata Alexandrina.

As cerimónias decorreram durante a tarde com visita à Exposição sobre a vida do Pe. Mariano Pinho, romagem ao cemitério onde se encontram os seus restos mortais e conferências realizadas pelo Pe. Dário Pedroso, SJ e Maria Rita Scrimieri, na igreja. Decorreu também a apresentação do livro “Padre Mariano Pinho, SJ”.

 

No final da tarde realizou-se a Eucaristia, com a presença do Arcebispo Primaz D. Jorge Ortiga e presidida pelo Pe. Dário Pedroso, SJ, lembrando a vida que o Pe. Mariano Pinho percorreu ao longo da sua caminhada espiritual.

 

Para finalizar as celebrações deu-se um grande "momento histórico" para a paróquia de Balasar e Fundação Alexandrina de Balasar, com a entrega dos cadernos de encargo, por parte do Arcebispo Primaz D. Jorge Ortiga, aos arquitectos que vão concorrer para a construção do Santuário Eucarístico, dedicado à Beata Alexandrina.

 

É de realçar que o Santuário Eucarístico é de uma grande necessidade para a paróquia de Balasar devido aos milhares de peregrinos devotos que rumam a Balasar todos os meses com a devoção e fé espiritual pela Beata Alexandrina.

O Pe. Casado Neiva salientou que “É um grande desafio que se coloca à paróquia e à Fundação Alexandrina de Balasar”

2013-07-09 — SANTUÁRIO EUCARÍSTICO EM HONRA DA BEATA ALEXANDRINA E OUTROS EQUIPAMENTOS

/imagens/noticias/2013/alex_imgconhecida.jpg
2013-07-09

Depois de uma grande caminhada chegou o momento tão desejado. No próximo dia 14 de julho, no fim da homenagem ao Padre Mariano Pinho, será apresentado, pelo Sr. Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, o caderno de encargos a diversos gabinetes de arquitetura para o concurso de ideias para o Santuário Eucarístico em honra da Beata Alexandrina e outros equipamentos.

 

A Fundação Alexandrina de Balasar será responsável pelo Santuário; Centro de Espiritualidade e Centro de Acolhimento ao Peregrino; Centro de Estudos e Memorial da Causa da Beata Alexandrina; e outras infraestruturas necessárias, v.g. parque-auto e parque de merendes.

 

A Paróquia também apresentará a sua proposta para o Centro Pastoral Paroquial com as seguintes valências: Pequeno Centro de Acolhimento ao Peregrino; Capela Mortuária; Centro de Formação Cristã e apoio aos movimentos e grupos paroquiais. A Fundação e a Paróquia serão responsáveis pelo Centro Social. Além destes equipamentos há todo um conjunto de infraestruturas, requalificação de espaços e logística, sob a responsabilidade das autarquias.

 

Os gabinetes concorrentes devem apresentar as suas propostas até ao fim deste ano civil. Um júri composto por representantes da Diocese, Paróquia, Fundação, Câmara Municipal e Junta de Freguesia, apreciará todas as propostas, tomando uma decisão até à Páscoa.

 

Será um grande momento para a Fundação Alexandrina de Balasar e para a Paróquia de Balasar. Os muitos milhares de devotos e peregrinos da Baeta Alexandrina merecem. A Paróquia de Balasar merece e necessita destes equipamentos pastorais.

 

Um grande desafio, mas também uma grande fé e esperança no futuro.

2013-07-02 — PADRE FRANCISCO CELEBRA BODAS DE DIAMANTE SACERDOTAIS

/imagens/noticias/2013/pfrancisco.jpg
2013-07-02

Pe. Francisco Dias de Azevedo (à esquerda), junto da campa da Alexandrina

 

O Pe. Francisco Dias de Azevedo completa hoje 60 anos de vida sacerdotal. A comemoração desta data ocorrerá na Eucaristia do primeiro sábado do mês, dia 6, pelas 19h00, presidida pelo Arcebispo D. Jorge Ortiga.

 

O sacerdote de 85 anos de idade, natural da freguesia de Santa Maria de Oliveira, concelho de Vila Nova de Famalicão, foi ordenado no ano de 1953. Embora permanecesse na paróquia de Castelões por 3 anos, foi à paróquia de Balasar que o Pe. Francisco Azevedo dedicou a sua vida. Aqui, promoveu o desenvolvimento da animação pastoral e litúrgica, com especial atenção à música.

 

Em 1956, um ano após a morte da Beata Alexandrina, o Arcebispo de Braga de então – D. António Bento Martins Júnior – nomeou-o pároco de Santa Eulália de Balasar. Abraçou com toda a coragem a Causa de Alexandrina Maria da Costa: iniciou e concluiu todo o Processo para a Beatificação. Para a difusão da vida e mensagem da Beata Alexandrina, deu nova vida ao “Boletim de Graças”. Incansavelmente, convicto da verdade da Causa, no dia 25 de abril de 2004 viveu a alegria da beatificação de Alexandrina Maria da Costa.

Nesse mesmo ano, com 51 anos de sacerdote, foi dispensado dos serviços paroquiais de Balasar.

 

É com sentido de gratidão a Deus e ao Pe. Francisco que se celebrarão as suas bodas de diamante sacerdotais. Participe na Eucaristia em www.alexandrinadebalasar.com.

 

 

 

NOTA BIOGRÁFICA:

1928 | Pe. Francisco Dias de Azevedo nasceu no dia 23 de janeiro em Santa Maria de Oliveira, V.N. Famalicão.

1941 | Entrou para o seminário de Braga.

1953 | Recebeu a Ordenação Sacerdotal, na capela do Seminário Conciliar de Braga, a 2 de julho. Nesse ano, foi nomeado Pároco de Castelões, V.N. de Famalicão, permanecendo até setembro de 1956.

1956 | A 30 de setembro, inicia as suas funções de Pároco na paróquia de Sta. Eulália de Balasar.

1968 | Funda o Grupo Coral Litúrgico de Balasar, em 1968. Fundou e ensaiou o Grupo Coral da paróquia de Rio Mau, Vila do Conde. Promoveu e foi responsável pela construção da atual residência paroquial.

1978 | Realiza obras de restauro e ampliação na igreja paroquial. Nesse ano, o corpo de Alexandrina é trasladado para a Igreja paroquial.

Adquiriu o terreno do centro pastoral; terreno e casa da ponte; casa e terreno junto do adro da Igreja.

2004 | Em julho, é dispensado dos serviços paroquiais de Balasar.

2013-06-24 — CINQUENTENÁRIO DA MORTE DO PADRE MARIANO PINHO SERÁ COMEMORADO

/imagens/noticias/2013/cartazpmarianopinho.jpg
2013-06-24

Nos dias 11 e 14 de julho será comemorado o cinquentenário da morte do Padre Mariano Pinho, S.J., o primeiro diretor espiritual da Beata Alexandrina.

 

Este sacerdote nasceu no Porto em 1894, ingressou na Companhia de Jesus em 1910 e foi ordenado em 1926. Foi um pregador e escritor notável, tendo fundado o movimento da Cruzada Eucarística Infantil em Portugal. Depois de uma vida consagrada ao apostolado, faleceu em Recife, no Brasil, no dia 11 de julho de 1963.

 

Segue o programa para as comemorações do cinquentenário da sua morte:

 

11 de julho – quinta-feira

21h00 | Abertura da exposição

Vida e Obra do Padre Mariano Pinho

Salão Junta de Freguesia

21h30 | Eucaristia

 

14 de julho – domingo

14h30 | Visita à exposição

15h00 | Romagem ao cemitério

15h30 | Saudação – Igreja

Apresentação da vida do Padre Mariano Pinho

16h00 | Conferência – P. Dário Pedroso, S.J.

Padre Mariano Pinho, Sacerdote e Diretor Espiritual

17h00 | Conferência – Maria Rita Scrimieri

     Padre Mariano Pinho, S.J. e Padre Humberto Pasquale, S.D.B.

17h30 | Apresentação do livro

17h45 | Intervalo

18h00 | Eucaristia

19h00 | Encerramento

Palavra do Pároco

Palavra do Arcebispo D. Jorge Ortiga

 

Em 1933, o P. Mariano Pinho conheceu pessoalmente a Beata Alexandrina e tomou a sua direção espiritual até 1942, correspondendo-se depois por cartas até à sua morte. Em 1934, Jesus diz a Alexandrina: “Obedece em tudo ao teu Padre espiritual. Não foste tu quem o escolheste, mas Eu quem to enviei.

 

É de realçar o empenho do religioso jesuíta na Consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria, apelo dirigido à Alexandrina e ao P. Pinho. Conheça mais da sua vida, no site oficial do Santuário.

 

São várias as referências às virtudes do P. Mariano Pinho nos escritos da Beata Alexandrina. No ano de 1952, Jesus declara: “Diz ao teu Paizinho que ele está todo absorvido, dentro do Meu Coração Divino. É n’Ele que ele sofre, é n’Ele que ele trabalha, é n’Ele que ele vive. (…) Ele será contado no número dos Meus eleitos.”

 

As cerimónias do dia 14, na igreja, serão transmitidas online em www.alexandrinadebalasar.com

2013-06-08 — ÚLTIMOS DIAS DO MÊS DA MISSÃO NAS FESTAS DO CORAÇÃO DE JESUS E MARIA

/imagens/noticias/2013/peregrinacaofrageis.jpg
2013-06-08

Balasar está a viver os últimos dias da Missão (10 maio a 10 junho) e as celebrações têm decorrido com entusiamo e um forte apelo à oração e ao envio.

 

No primeiro dia de junho, decorreu a peregrinação dos frágeis, terminando assim uma formação direcionada aos agentes da pastoral da saúde. No domingo passado, o Santuário uniu-se à Jornada mundial de adoração eucarística, associando-se à exortação do Papa Francisco.

 

Ontem, a Igreja celebrou a solenidade do Sagrado Coração de Jesus e hoje celebra o Imaculado Coração da Virgem Santa Maria. Nos escritos da Beata Alexandrina o “Coração de Jesus” é uma constante, expressão do seu amor e confiança. Recordamos também que Jesus lhe comunicou o desejo da consagração do mundo ao Coração de Sua “Mãe Santíssima”. Numa carta do dia 24 de outubro de 1939 ao Pe. Mariano Pinho – primeiro diretor espiritual – Alexandrina declara: “Só no Coração Santíssimo do meu Jesus ou da querida Mãezinha tenho refúgio seguro.

                       

Haverá o Sagrado Lausperene durante esta noite e a tarde de amanhã.

2013-05-24 — MÊS DA MISSÃO EM BALASAR JÁ COMEÇOU

/imagens/noticias/2013/cartazbalasarmissao.jpg
2013-05-24

Balasar está a viver um mês dedicado à Missão com várias atividades e celebrações, iniciadas no dia 12 de maio até 10 de junho. Esta “Santa Missão” tem como objetivo animar a fé dos cristãos num tempo forte de oração, reflexão e dinâmicas.

 

Num período de crescente afluxo ao Santuário Alexandrina de Balasar, a paróquia e devotos têm a possibilidade de aderir às iniciativas religiosas. Seguem algumas atividades e celebrações de maior importância:

 

maio

Dia 25 | 21h00: Procissão de Velas

Dia 30 | 21h00 às 24h00: Eucaristia, Adoração e Pregação

Pe. Dário Pedroso, S.J.

Dia 31 | 21h00: Dia dos Jovens

“Conversa com Jesus à mesa da(o) (ca)Fé”

junho

Dia 1 | 15h00: Peregrinação dos frágeis (Pessoas que vivem a deficiência, a dependência, a velhice, a doença física ou psíquica, a solidão, a discriminação, a reclusão, o luto, …)

Dia 1 | 21h00: Dia das Famílias

“Conversa com Jesus à mesa da(o) (ca)Fé”

Dia 2 |Festa do Corpo de Deus

15h00: Eucaristia, Pregação e Procissão

18h00: Eucaristia

Pe. Dário Pedroso, S.J.

Dia 5 | 21h00: Dia das famílias e pessoas em situação frágil com

a Fé da Igreja (divorciados, recasados, união de facto, etc…)

Dia 6 | 21h00 às 24h00: Eucaristia, Adoração e Pregação

Pe. Dário Pedroso, S.J.

Dia 8 | 19h00: Início do Sagrado Lausperene (toda a noite)

(Haverá confissões durante todo o dia.)

Dia 10 | Peregrinação ao Bom Jesus e Sé de Braga

 

Veja aqui o programa completo da Missão em Balasar. Para mais esclarecimentos, entre em contacto com o Santuário. 

2013-05-08 — TARDE DE LOUVOR REALIZAR-SE-Á EM BALASAR

/imagens/noticias/2013/cancaonova2013.jpg
2013-05-08

 

No próximo dia 26 de maio, a Comunidade Canção Nova realizará uma tarde de louvor no Santuário Alexandrina de Balasar.

 

O tema desta tarde de louvor será “A Eucaristia: Sacrifício Redentor”. Este tema relaciona-se com a mensagem eucarística da Beata Alexandrina e a sua vida reparadora que se assemelhou a Jesus.

 

Segue o programa:

14h30: Cânticos de Louvor

15h00: Ensinamento “A Eucaristia: Sacrifício Redentor”

Joaquim Dias

16h00: Adoração ao Santíssimo Sacramento

17h00: Intervalo

17h30: Oração do Terço mariano

18h00: Eucaristia

 

Num tempo onde há cristãos que celebram a Eucaristia como um mero preceito religioso ou desconhecem a sua instituição, é convidado a participar nesta tarde de louvor, acompanhado por familiares e amigos.

 

Quem não puder estar presente, tem a oportunidade de seguir as atividades no site oficial do Santuário – www.alexandrinadebalasar.com – clicando no “direto com Alexandrina”.

2013-04-26 — BALASAR ACOLHEU PEREGRINOS NO 9º ANIVERSÁRIO DA BEATIFICAÇÃO DE ALEXANDRINA

/imagens/noticias/2013/eucaristianove.jpg
2013-04-26

Ontem, Balasar viveu um grande dia pela ocasião do 9º aniversário da beatificação de Alexandrina Maria da Costa. De acordo com as contagens, estima-se que mais de 5 mil pessoas deslocaram-se a Balasar.

 

A manhã deste dia de sol foi dedicada à Beata Alexandrina. Iniciou-se com cânticos, encenações e a pregação do Pe. Dário Pedroso, S.J. que afirmou acerca da Celebração da Eucaristia: “A Missa renova no altar a Ceia que Jesus celebrou em quinta-feira santa. A Alexandrina percebeu isto; entendeu, viveu com toda a alma e com todo o coração a sua paixão pela Eucaristia. Ela viveu-o com encanto. Por isso, cada vez que podia comungar, era para ela dia de festa.” Apelou para que em todas as paróquias e dioceses se fizesse adoração eucarística e comunhões conscientes e íntimas.

A Eucaristia foi especialmente consagrada aos doentes também presentes que no final receberam a benção do Santíssimo Sacramento. No final da manhã, foram apresentados o CD “Florinha da Eucaristia”, dedicado à Beata Alexandrina, o “Livro do Peregrino”, concebido para o mesmo e um quadro da autoria de Fernando Rosário, cheio de simbolismos.

 

A tarde de louvor a Jesus Eucaristia iniciou-se com uma celebração sobre a Fé com textos bíblicos e encenações eucarísticas da vida da Beata Alexandrina. A Eucaristia festiva foi presidida por D. Manuel Linda, Bispo Auxiliar de Braga que declarou na sua homília: “...brilha a santidade da Beata Alexandrina que hoje aqui nos congregou para a admirarmos e imitarmos na devoção aos sacrários, ao sagrado Coração de Jesus, à “Mãezinha” (como ela dizia), à Paixão de Cristo, à salvação das almas dos pecadores, à paz no mundo. Sempre e só sob o signo do amor, expressão de uma espiritualidade originada na Palavra de Deus, na Eucaristia e na Oração.” Leia a homilia do Sr. Bispo, na íntegra, aqui.

 

Todas as celebrações contaram com uma intérprete de língua gestual. No final, os peregrinos levaram consigo a mensagem eucarística, o maior apelo da Beata Alexandrina.

2013-04-24 — HÁ NOVE ANOS ATRÁS, EM ROMA (TEXTO E FOTOS)

/imagens/noticias/2013/tela.jpg
2013-04-24

Na véspera do aniversário beatificação de Alexandrina Maria da Costa, o Santuário Alexandrina de Balasar deixa aqui:

  • parte da homilia do Papa João II, pela ocasião da beatificação de Alexandrina, no dia 25 de abril de 2004, na Praça de S. Pedro;
  • parte da homilia do Sr. Arcebispo de Braga – D. Jorge Ortiga – na tarde do dia 24 de Abril, na Eucaristia de ação de graças, celebrada na Basílica de Santa Maria Igreja.

 

 

PARTE DA HOMILIA DO PAPA JOÃO PAULO II,

NO DIA DA BEATIFICAÇÃO DE ALEXANDRINA, NA PRAÇA DE S. PEDRO

 

«"Tu amas-Me?" pergunta Jesus a Simão Pedro. Ele responde: "Tu sabes tudo, Senhor, bem sabes que Te amo". A vida da Beata Alexandrina Maria da Costa pode resumir-se neste diálogo de amor. Investida e abrasada por estas ânsias de amor, não quer negar nada ao seu Salvador: de vontade forte, tudo aceita para mostrar que O ama. Esposa de sangue, revive misticamente a paixão de Cristo e oferece-se como vítima pelos pecadores, recebendo a força da Eucaristia que se torna o único alimento dos seus últimos treze anos de vida.

 

Pela esteira da Beata Alexandrina, expressa na trilogia "sofrer, amar, reparar", os cristãos podem encontrar estímulo e motivação para nobilitar tudo o que a vida tenha de doloroso e triste com a prova maior de amor: sacrificar a vida por quem se ama.

 

"Sim, Senhor, Tu sabes que eu sou deveras teu amigo" (Jo 21, 15). Como Pedro, como os Apóstolos nas margens do lago de Tiberíades, também estes novos beatos fizeram sua, levando-a até às extremas consequências, esta simples mas incisiva profissão de fé e de amor. O amor a Cristo é o segredo da santidade!

 

Caríssimos Irmãos e Irmãs, sigamos o exemplo destes Beatos! Ofereçamos, como eles, um testemunho coerente de fé e de amor na presença viva e operante do Ressuscitado!»

 

 

 

PARTE DA HOMILIA DE D. JORGE ORTIGA,

NO DIA ANTERIOR À BEATIFICAÇÃO DE ALEXANDRINA,

NA BASÍLICA DE SANTA MARIA MAIOR

 

«A Vida de Alexandrina está marcada por devoções que testemunham a grandiosidade da sua alma. Ninguém desconhece a centralidade que dava a Jesus e a Jesus Eucaristia. Só que Nossa Senhora, a quem com muito carinho chamava de «querida Mãezinha», acompanhava este mesmo amor.

Todos os dias rezava: «Ó Mãezinha, abri-me os vossos santíssimos braços, tomai-me sobre eles, estreitai-me ao vosso santíssimo Coração, cobri-me com o Vosso manto e aceitai-me como vossa filha muito amada, muito querida, e consagrai-me toda a Jesus. Fechai-me para sempre no seu Divino Coração e dizei-lhe que O ajudais a crucificar-me, para que não fique por crucificar... Ó Mãezinha, fazei-me humilde, obediente, pura, casta na alma e no corpo. Fazei-me um anjo; transformai-me toda em amor, consumai-me toda nas chamas do amor de Jesus».

Nesta Basílica de Santa Maria Maior, a primeira a ser dedicada a Nossa Senhora na cidade de Roma, queremos prepararmos para a Beatificação colocando-nos na atitude de amor de Alexandrina a Nossa Senhora.

 

Merece particular relevo a Consagração a Nossa Senhora e o trabalho efectuado para que o Papa Pio XII procedesse à consagração do mundo ao Coração Imaculado de Maria, em 31 de Outubro de 1942.

(…)

Urge redescobrir o verdadeiro significado da palavra consagração. (…)

No sentido religioso encerra um significado dum acto de oferta de lugares, coisas ou pessoas à divindade. Como tal supõe uma «separação» dos usos profanos e um «destino» para o culto. «Separação» como aspecto negativo e «dedicação» como aspecto positivo. O culto pagão sublinhava mais o negativo; a Bíblia mostra mais o positivo. Consagrado é, assim, aquele que «pertence» a Deus e «participa» de Deus e do qual Deus se serve para o tornar presente e operar na história. Neste sentido, consagrar-se é mergulhar numa comunhão de vida, acolher uma participação plena do modo de pensar, de amar e de agir de Cristo e suscitar uma assimilação vital dos valores do Reino que se vivem e se comunicam.

Esta consagração assume-se no Baptismo e vive-se na vida. «Cristo Senhor, Pontífice tomado de entre os homens (cf. Heb. 5, 1-5), fez do novo povo «um reino de sacerdotes para Deus e Seu Pai» (cf, Apoc. 1, 6, 5, 9-10), Pela regeneração e pela união do Espírito Santo os baptizados são consagrados para serem edifício espiritual e sacerdócio santo, de modo que ofereçam, em toda a sua actuação cristã, sacrifícios espirituais e proclamem as grandezas dAquele que os chamou das trevas para a Sua luz maravilhosa (cf. 1 Ped. 2, 4-10). Perseverando no louvor de Deus (cf. Act. 2, 42-47), ofereçam-se todos os discípulos de Cristo como hóstia viva, santa, agradável a Deus (cf. Rom. 12, 1), rendam testemunho de Cristo em toda a parte, sempre prontos a dar uma razão a quem os interrogar acerca da esperança, que neles existe, da vida eterna (cf. 1 Ped. 3, 15). L.G. 10.

«O Baptismo insere-nos em Cristo e torna-se a base e o fundamento de tudo, mas ele não é tudo na vida cristã. Com ele começa-se a ser cristão e somos colocados em condições para poder receber vocações, missões, encargos particulares com as qualidades e os talentos capazes para as concretizar. Uma consagração inicial e diversas formas de consagração e algumas consagrações «especiais» associadas ao Sacramento da Ordem e Profissão e Vivências dos Conselhos Evangélicos: eis a síntese da vocação cristã.

A Beata Alexandrina poderá ajudar-nos a compreender esta doutrina.

Pelo Baptismo somos «consagrados» a Jesus em «toda» a nossa vida e, por isso, no quotidiano identificamo-nos com Ele nas virtudes através duma vida coerente com o Evangelho, e «consumindo-a», ou seja, gastando- a no amor: entrega da nossa vocação pessoal e interesse pelas vocações de especial consagração. Alexandrina dizia: «Consagrai-me toda». «Transformai-me toda em amor» «Consumi-me toda». (…)»

 

 

Visite o Meditar e Rezar (contém textos da Liturgia da Festa da Beata Alexandrina e textos dos seus escritos).

FOTOS: "Beata Alexandrina, do Sofrimento à Glória"

2013-03-13 — 9º ANIVERSÁRIO DA BEATIFICAÇÃO DE ALEXANDRINA É CELEBRADO, NO ANO DA FÉ

/imagens/noticias/2013/25abril2012.jpg
2013-03-13

No dia 25 de abril, celebra-se o 9º aniversário da beatificação de Alexandrina Maria da Costa.

 

Para este grande dia, em que centenas de pessoas peregrinam ao Santuário de Balasar, foram programas várias celebrações. A manhã desta quinta-feira será dedicada ao especial louvor à Beata Alexandrina e a tarde, a Jesus Eucaristia.

 

Segue o programa:

Manhã de Louvor em honra da Beata Alexandrina

08h00: Acolhimento

08h30: Oração de Laudes

09h00: Tema: “Alexandrina, mulher de Fé”

Pe. Dário Pedroso, S.J.

Cânticos e poemas em honra da Beata Alexandrina

10h30: Eucaristia dos doentes

11h30: Exposição do Santíssimo

 

Tarde de louvor a Jesus Eucaristia

14h30: Tema: “Alexandrina, modelo de Fé a Jesus Eucaristia”

Cânticos e orações em honra de Jesus Eucaristia

16h00: Oração de Vésperas

16h30: Bênção do Santíssimo

17h00: Eucaristia festiva, presidida por D. Manuel Linda, Bispo Auxiliar de Braga  

 

Ainda na parte de manhã, serão apresentados o CD musical “Florinha da Eucaristia” que reúne 9 faixas musicais dedicadas à Beata Alexandrina, o “Livro do Peregrino”, um livro pensado para servir os peregrinos, e uma pintura a óleo de Fernando Rosário, uma obra de arte dedicada à vida e mensagem da Beata Alexandrina.

 

Se desejar reservar o almoço, contacte a Fundação Alexandrina de Balasar.

 

Todos estão convidados para este dia de celebração e festa.

2013-03-13 — PAPA FRANCISCO SUBLINHA A "FRATERNIDADE"

/imagens/noticias/2013/papa_francisco.jpg
2013-03-13

Após cinco votações, Cardeal Bergoglio foi eleito Papa, o 226.º sucessor de Pedro.

Jorge Mario Bergoglio tem 76 anos e é natural da Argentina. O novo Papa marca o seu pontificado com o novo: é o primeiro Pontífice da América Latina, o primeiro jesuíta na Cadeira de Pedro e, pela primeira vez, é escolhido o nome Francisco.

 

Depois da expectativa dos últimos dias, o Papa Francisco apresenta-se aos fiéis no dia 13 de março de 2013, pelas 08h22 (Roma), com simplicidade: “Vós sabeis que o dever do Conclave era dar um Bispo a Roma. Parece que os meus irmãos Cardeais foram buscá-lo quase ao fim do mundo…

Depois da oração do Pai-Nosso, Ave-Maria e Gloria, o Santo Padre frisou a necessidade da fraternidade e oração: “Um caminho de fraternidade, de amor, de confiança entre nós. Rezemos sempre uns pelos outros. Rezemos por todo o mundo, para que haja uma grande fraternidade.

Na sua saudação constata-se o espírito de serviço e uma especial devoção pela Virgem Maria.

O nome que escolheu – Francisco – evoca a simplicidade, fraternidade e dedicação aos pobres do Santo de Assis, que na sua época, deu vida autêntica ao Evangelho da Igreja.

 

Jesus fala a Alexandrina da pessoa do Papa: «Vai, diz aos pecadores, diz ao mundo que estou triste, que não Me quiseram atender. Que atendam agora à voz do Papa que é a voz de Jesus; que façam oração e penitência.» (1949)

O Santuário Alexandrina de Balasar dá graças a Deus por aquele que Ele escolheu para servir, em comunhão com toda a Igreja Católica.

2013-03-01 — "OBRIGADA BENTO XVI"

/imagens/noticias/2013/papa.jpg
2013-03-01

No dia 11 de fevereiro, o Papa Bento XVI anunciou que iria renunciar ao pontificado. Esta decisão foi uma surpresa, mas depressa os membros da Igreja reconheceram a “humildade”, “inteligência” e “simplicidade” do Papa.

 

Em oito anos de pontificado, Bento XVI realizou 24 viagens ao estrangeiro, uma dessas a Portugal. Este “colaborador da verdade” escreveu três encíclicas: Deus caritas estDeus é amor (2005), Spe salviSalvos na Esperança (2007), Caritas in veritateCaridade na verdade (2009) entre outros documentos apostólicos e livros.

 

Nos escritos da Beata Alexandrina há várias referências ao Pastor da Igreja. Nos Sentimentos da Alma do dia 22 de junho de 1945, Jesus fala-lhe:

«Confia, a causa é Minha, Eu tudo vencerei. Repete, Minha filha, flor mimosa e pura, a tua mensagem ao Papa. Sou Eu que peço, quero que ele brade, brade, brade ao mundo como Pai de todos, Pai escolhido por Mim, que lhe peça para não Me ofender, que haja emenda de vida. Que mande os seus Bispos e todos os que governam a convidarem os fiéis ao amor, à penitência

 

Na sua florinha (intenção para o mês de maio) do dia 16, Alexandrina oferece: «16 – Por amor de Maria Santíssima e de Jesus Sacramentado, sofrerei tudo pelo Santo Padre e pelas necessidades da Santa Igreja.»

 

Na última catequese, o Papa afirmou que a Igreja é um “corpo vivo”. Ainda: «Poder experimentar a Igreja deste modo e quase tocar com as mãos a força da sua verdade e do seu amor é motivo de alegria, num tempo em que muitos falam do seu declínio. Mas vejamos como a Igreja está viva hoje!»

 

Depois de todos os momentos fortes acompanhados pelo mundo inteiro, agrademos ao Senhor o dom da vida e obra de Joseph Ratzinger: “Obrigada Santo Padre Bento XVI”. 

2013-02-15 — VIVER O MISTÉRIO PASCAL NO ANO DA FÉ COM A BEATA ALEXANDRINA

/imagens/noticias/2013/cartaztresmarco.jpg
2013-02-15

Irá ter lugar em Balasar, o encontro Viver o Mistério Pascal no Ano da Fé com a Beata Alexandrina, no dia 3 de março.

Neste III Domingo da Quaresma, o Santuário propõe um dia dedicado ao tempo presente à luz da mensagem da Beata Alexandrina.

 

O programa é o seguinte:

08h30: Acolhimento, no Adro da Igreja Paroquial de Balasar;

09h00: Eucaristia

10h15: Acolhimento, no Centro Pastoral (junto à casa da Beata Alexandrina)

10h30: Como Alexandrina Viver o Mistério Pascal no Ano da Fé: reflexões acerca da sua vida, missão e mensagem, em especial na virtude da fé;

Reflexão realizada pelo Pe. Dário Pedroso, S.J.

12h00: Via Sacra com meditações adaptadas da Paixão de Jesus vivida pela Beata Alexandrina;

13h00: Almoço*

14h30: Visita guiada pelos locais relacionados com a Beata Alexandrina;

15h30: Adoração na Igreja Paroquial de Balasar;

16h30: Despedida.

 

*Quem desejar, poderá reservar o almoço (entre em contacto para marcação)

Todos os amigos e devotos da Beata Alexandrina serão muito bem-vindos. Esta é uma oportunidade para crescer espiritualmente neste tempo favorável que a Igreja nos propõe, descobrindo a riqueza dos nossos santos e beatos.

 

Para mais informações, não hesite em contactar o Santuário.

2013-02-14 — "FLORINHA DA EUCARISTIA" - CD DE CÂNTICOS EM HONRA DA BEATA ALEXANDRINA

/imagens/noticias/2013/cdalexandrina.jpg
2013-02-14

É com muita satisfação que a Fundação Alexandrina de Balasar lança o CD Florinha da Eucaristia dedicado à Beata Alexandrina.

Este CD contém 9 faixas musicais a cargo do Grupo Coral Litúrgico da Santa Eulália de Balasar, sob a direção do Maestro Pedro Malta, natural desta terra. Com este trabalho, os amigos e devotos da Beata Alexandrina poderão ouvir a qualquer momento cânticos a ela dedicados e, com ela, rezar através da música.

Com este CD a Fundação Alexandrina de Balasar quer contribuir para maior divulgação do culto à Beata Alexandrina e, através dela, dar glória a Deus por tão grande dom para o mundo, que é a Beata Alexandrina.

Seguem as faixas do CD

1.   Alexandrina Bendita (Música: Azevedo Oliveira/ Letra: Fernando Silva)

2.   Mãezinha (Música: Pedro J. S. Malta/Letra: Daniel Silva/ Orquestração: Prof. Costa Gomes)

3.    Exemplo a imitar (Música: Sousa Marques/ Letra: Silva Araújo)

4.  Hino aos Sacrários (Música: Frei Acílio Mendes/ Letra: Beata Alexandrina/ Orquestração: Prof. Costa Gomes)

5.    Nosso canto de louvor (Música: Azevedo Oliveira/ Letra: Silva Araújo)

6.    Vida Eucarística (Música: Sousa Marques/ Letra: Silva Araújo)

7.   Doce Sorriso (Música: Pedro J. S. Malta/ Letra: Daniel Silva/ Orquestração: Prof. Costa Gomes)

8.     Vida de Fé e Amor (Música: Sousa Marques/ Letra: Silva Araújo)

9.     Salve, Alexandrina (Música e Letra: Frei Acílio Mendes / Orquestração: Prof. Costa Gomes)

 

Para adquiri-lo, contacte a Fundação Alexandrina de Balasar, através do e-mail fundação@alexandrinadebalasar.com; e na receção da Igreja Paroquial de Balasar. 

 

2013-02-07 — «VAI E FAZ TU TAMBÉM O MESMO.»

/imagens/noticias/2013/alexcruz.jpg
2013-02-07

O Dia Mundial do Doente celebra-se a 11 de fevereiro, festa de Nossa Senhora de Lourdes. No Santuário de Balasar dá-se um olhar particular ao irmão doente: à sua vida, vocação e missão. No próximo domingo, dia 10 de fevereiro, vamos celebrar o dia do doente na Igreja de Balasar: pelas 15h00 haverá a celebração da Santa Missa e sacramento da Santa Unção, seguindo-se um pequeno convívio no salão paroquial.

 

Recordemos que a Beata Alexandrina viveu a realidade da doença desde a sua juventude, permanecendo no seu quarto 30 anos, devido a uma mielite na coluna. Abraçou a sua vocação com as suas limitações físicas, confiando sempre em Deus. Em 1939, no contexto de uma visita, respondeu: «É das obras de misericórdia visitar os doentes, não é verdade? Nosso Senhor com certeza ficará contente. Vejo que o meu querido Jesus não deixa de velar por mim, não me deixa ao desamparo.» E ainda: «Vós no Sacrário preso e abandonado e eu, Jesus, presa também. Mas fazei, Senhor, que eu abandone tudo o que é do mundo, buscando-Vos só a Vós em todas as coisas, que sois a luz da minha inteligência, sois as minhas delícias, sois todo o meu bem. Oh, eu vos mando tudo quanto tenho que Vos possa agradar e fazer-Vos companhia no Vosso Sacrário de amor!»

 

A mensagem do Papa Bento XVI pela Ocasião da XXI Jornada do Doente é inspirada na Parábola do Bom Samaritano: “«Qual destes três te parece ter sido o próximo daquele homem que caiu nas mãos dos salteadores?» Respondeu: «O que usou de misericórdia para com ele.» Jesus retorquiu: «Vai e faz tu também o mesmo.»” (Lc, 10; 36-37)

O Santo Padre afirma que esta parábola “faz parte duma série de imagens e narrações tomadas da vida diária, pelas quais Jesus quer fazer compreender o amor profundo de Deus por cada ser humano, especialmente quando se encontra na doença e no sofrimento.”. Referiu também que “O Ano da fé, que estamos a viver, constitui uma ocasião propícia para se intensificar o serviço da caridade nas nossas comunidades eclesiais, de modo que cada um seja bom samaritano para o outro, para quem vive ao nosso lado.”.

 

Na mensagem para o mesmo dia, o Bispo Auxiliar de Braga – D. Manuel Linda – declara: «No seguimento do seu Mestre, a Igreja –isto é, todos os cristãos- é chamada a ser «terapeuta de Deus», porque continuadora desta missão de Cristo, médico dos corpos e das almas (cf. Mc 2, 17). É chamada a actuar a caridade de Deus, exprimindo a salvação em actos concretos de ajuda a quem sofre.»

 

Também a nossa querida Beata Alexandrina auxiliou muitos doentes pela oração, pelo sofrimento, pelo acolhimento e pela doação de bens materiais.

2013-01-30 — MAIS CORAÇÃO NESSAS MÃOS

/imagens/noticias/2013/maiscoracaonessasmaos.jpg
2013-01-30

Em fevereiro, dará início, em Balasar, a iniciativa “Mais Coração nessas Mãos” promovido pela Pastoral da Saúde da Arquidiocese de Braga e pela Fundação Alexandrina de Balasar.

 

Trata-se de uma formação dirigida a profissionais e estudantes das áreas de saúde e assistência social, funcionários de centros sociais, voluntários, visitadores, membros de grupos sócio-caritativos e todos os que desejam exercer a missão pastoral junto dos mais frágeis.

 

Esta formação está organizada em quatro ciclos, previstos para seguintes datas (das 21h às 23h):

  • Primeiro Ciclo | 19, 26 fev e 5 mar

Encarnação, Princípio da Pastoral da Caridade

  • Segundo Ciclo | 12, 19, 26 mar

Visitação, Método da Pastoral da Caridade

  • Terceiro Ciclo | 9, 16, 23, abr

Compaixão, Atitude da Pastoral da Caridade

  • Quarto Ciclo | 7, 14, 21 maio

Redenção, Finalidade da Pastoral da Caridade

 

As inscrições deverão ser realizadas até ao dia 3 de fevereiro. No final do curso, serão emitidos certificados aos participantes. Para se inscrever e saber mais informações, consulte o este documento ou contacte-nos.

 

2013-01-13 — BALASAR ESTATÍSTICAS 2012

/imagens/noticias/2013/estatisticasnoticiaum.jpg
2013-01-13

A Balasar – terra onde nasceu, viveu e morreu a Beata Alexandrina Maria da Costa – chegam todos os dias peregrinos, vindos de várias partes de Portugal e, em número crescente, de outros países.

 

Concluído o ano de 2012, foi feito o tratamento estatístico dos dados recolhidos ao longo do ano a grupos de peregrinos.

Entre as várias conclusões, é possível verificar que 2012 registou 317 grupos, sendo que 8% vieram do estrangeiro: Estados Unidos da América, Itália, Irlanda, Líbano, Croácia e Coreia do Sul. A maioria dos grupos portugueses provêm das dioceses vizinhas do norte litoral (Porto, Braga e Aveiro). Claramente, é durante o verão e aos fins de semana que a afluência é maior. A média de pessoas por grupo é de 56.

 

No ano de 2011 e 2012, verifica-se que o número de grupos manteve-se, embora a distribuição durante o ano se alterasse.

 

Para conhecer melhor estas estatísticas dos grupos, visite a página oficial, onde também encontrará outras informações interessantes.

 

Para além dos grupos, é necessário considerar as milhares de pessoas que para agradecer, pedir, rezar, deslocam-se junto ao túmulo da Beata Alexandrina.

Destaques
/imagens/destaques/rsz_anopastoral2016_17.jpg
Agenda
2016-2017
Ano Mariano - Fé Contemplada
14 de setembro
Exaltação da Santa Cruz
13 de outubro 2017
62.º aniversário da morte da Beata Alexandrina
31 de outubro
Consagração do Mundo ao Imaculado Coração de Maria
Localização

Ver mapa maior
ContactosMoradaHorários

Tel. Igreja: (00351) 252 951 601

Tel. Fundação: (00351) 252 951 264 

Tlm Fundação: (000351) 963 649 183

E-mail: fundacao@alexandrinadebalasar.com

Rua Alexandrina Maria da Costa, 21

4570-017 Balasar PVZ

GPS     41º 24' 17'' N    8º 37' 31'' W

Receção da Igreja:

segunda feira a sábado

09h00-12h30 e 14h00-18h00

domingo

09h00 às 12h45 e 14h30 às 18h00 

                                      

Casa da Alexandrina:

Inverno

09h00-12h00 e 14h00-18h00

Verão

Semana - 09h00 às 12h00 e 14h00 às 16h00

Domingo e Dia Santo - 08h00 às 19h00