logotipo /imagens/bandeiras/pt.gif   /imagens/bandeiras/gb.gif   /imagens/bandeiras/it.gif   /imagens/bandeiras/es.gif   /imagens/bandeiras/fr.gif
  
Slideshow Image 1 Slideshow Image 2 Slideshow Image 3 Slideshow Image 4 Slideshow Image 5 Slideshow Image 6 Slideshow Image 7 Slideshow Image 8
Apresentação
Palavra do Pároco
Palavra de Deus e revelações privadas
Aparições e revelações
Os Santos e a interpretação da Escritura
Balasar
Beata Alexandrina
História de uma Vida
Missão
Mensagem
Espiritualidade
Mística
Colóquios
Êxtases
Orações
Fátima e Balasar
Alexandrina no mundo
Processo | Glorificação
Serviços
Horários Litúrgicos
Pastoral da Mensagem da Beata Alexandrina
Serviços aos Peregrinos
Peregrinos - Estatísticas
Destaques
Capela da Santa Cruz
Cruz de Cristo
História da Capela S. Cruz
Alexandrina e a Santa Cruz
Fundação
Protocolo
Logótipo
Corpos Gerentes
Arquivo
Notícias
Temas de Reflexão
Meditar e Rezar com a Beata Alexandrina

Meditar e Rezar com a Beata Alexandrina

2015-12-27 — MRBeata

2015-12-27

Jesus:

«Desejo tanto que o Meu querido Pai S. José seja conhecido e amado! Anseio que todos os esposos o imitem, as esposas minha Mãe Santíssima, os filhos a Mim. Queria que todos os lares, todas as casas, fossem semelhantes à de Nazaré.»

(19/03/1945; Sentimentos da Alma; 20/03/1945)

 

 Alexandrina:

«A primeira condição que lhes peço é que procureis viver na maior graça e paz de Jesus, muito resignados e amiguinhos um do outro, desabafando os dois com a máxima franqueza e simplicidade, não ocultando nada um do outro para mais facilmente se ajudarem e darem todos os passos que devem dar.»

(Excerto de uma carta a um casal do Porto; 02/03/1950)

 

Jesus:

«A pureza, a castidade é a flor mais fina, é o que há de mais encantador para Mim. E porque és verdadeiramente pura venho à tua pureza pedir reparação, para os impuros e a reparação das famílias. Que dor para Mim. As famílias profanam o grande sacramento do matrimónio. Pecam e Eu a vê-los pecar, pecar na Minha divina presença, volto-lhes as costas, escondo Meu rosto. Não se envergonham de Mim, Eu envergonho-Me Eu deles. Repara-Me, repara-Me por tantas almas loucas que apresentando-se nuas convidam ao pecado, ofendem-Me gravemente. Confia em Mim, confia no Meu amor. Quem Me dá tudo, de Mim tudo recebe. Coragem, coragem, esposa Minha.»

(Sentimentos da Alma; 21/08/1945)

2015-12-24 — MRBeata

2015-12-24

 

 

Natal de 1934:

«Nosso Senhor recomendou-me que não me distraísse durante este dia com as visitas, por muitas visitas que tivesse e por mais que procurassem distrair-me. Durante a visita estava tão intimamente unida a Jesus que parecia não haver nada que me distraísse. Sentia uma força estranha que mal sei explicar, e um forte calor que me abrasava.»

(25/12/1934; Cartas ao Padre Mariano Pinho; 27/12/1934)

 

Natal de 1937:

«Como os anjos louvemos e adoremos a Jesus Menino entregando-lhe para sempre o nosso Coração!

A cruz e o Sacrário são a verdadeira escola onde melhor aprendemos a amar a Jesus»

Paz em nossa alma e em nosso coração!»

(Pagela; 29/12/1937)

 

Êxtase no dia de Natal de 1938:

«(Nosso Senhor abraçava-a)

(Jesus) É de tanta consolação para Vós, o Céu em festa, o mundo em festa e a minha alma triste e amargurada? É assim que mostro o amor que tenho ao meu Jesus, ao meu Esposo? Amar-Vos com consolação e alegrias não custa? Mas amar-Vos debaixo dum peso esmagador, duma cruz tremenda...

Isto é que Vos comola e salva-Vos almas? Ao menos na tristeza dais-me a paz? Confio em Vós que sois o meu Jesus. Fazer-me-ieis sofrer assim por amor? É para me colocardes no Céu, no lugar mais alto, muito unidinha a Vós e para desagravar-Vos nesta noite tão santa, mas de tantos crimes?

Santa porque o devia ser, de crimes porque abusam dela? A Vossa loucura de amor e que Vos obriga a fazerdes assim? Estou contente com tudo que me dá o meu Jesus? Bem sabeis que recebo tudo por amor...

Contente muito contente, meu Jesus? Sois Vós quem ma enviais?

(Nosso Senhor abraça-a)»

(Êxtases, 25/12/1938) 

2015-12-20 — MRBeata

2015-12-20

Alexandrina:

«Eu estava muito atenta para saber bem como havia de falar a V.ª Rev.a porque a minha cabeça não me ajuda. Mas Nosso Senhor disse-me que o Divino Espírito Santo viria sobre mim e me inspiraria como eu havia de dizer. Mas isto dá-se mesmo com a comunhão espiritual. Eu faço-a com muito amor e fervor, mas não como Nosso Senhor merece.»

(C.P.M; 14/09/1934)

 

Jesus a Alexandrina:

«É com o mesmo amor que Jesus e Maria ama e se dá às almas amantes da Sua louquinha. A S.S. Trindade inclina-se, o Divino Espírito Santo estende os seus raios, irradia-os sobre este cofre riquíssimo do S.S.mo coração de Jesus.

Obrigada, obrigada, meu Jesus.»

(S.A.; 15/08/1942)

 

Jesus a Alexandrina:

«É o fogo divino, é o fogo do amor do Divino Espírito Santo; fogo e amor, que recebeste para dares às almas. É-lhes dado por teus lábios, é-lhes dado por teu ar, que se espalhará e comunicará a elas como alimento salutar. Vai, filhinha, tem coragem mais um pouco. A Minha vida, a Minha paz, o Meu amor seja contigo. Confia em Mim. É Jesus e princípio e o fim da tua vida.»

(Êxtases; 05/07/1946)

2015-12-08 — MRBeata

2015-12-08

Alexandrina:

«Eu vos saúdo, ó cheia de graça!

Ave Maria, cheia de graça! Eu vos saúdo, ó cheia de graça! Soberana Rainha do Céu e da Terra, Mãe dos pecadores, eu, a mais indigna de todas as filhas, vos agradeço de todo o coração, ó Santa Mãe de Deus, por terdes consentido que o meu amabilíssimo Jesus encarnasse em vossas puríssimas entranhas para redenção da humanidade. Sim, minha Mãezinha, encarnar, nascer, viver trinta e três anos no mundo e por fim morrer numa cruz pelos miseráveis filhos de Eva! Entenda quem puder tantos excessos de amor, que eu por mim só tenho que confundir-me e lamentar este meu pobre coração por não ter correspondido a tanta bondade dos meus dois queridos amores, Jesus e Maria! A mais indigna das vossas filhas.»

(Autobiografia)

 

 Alexandrina:

«Ó minha Mãezinha do Céu

Ó minha Mãezinha do Céu, eu tenho tanta, tanta confiança em vós, que não sei explicar-vos o amor que vos tenho.

Ó minha Mãe, é muito, mas queria muito mais, muito mais; só vós me podeis alcançar essa graça e também o amor ao vosso e meu querido Jesus. Ai, aumentai-mo muito, muito! Abrasai-me em chamas de puro amor! Sim, sim, minha boa Mãezinha!?»

(Autobiografia)

2015-12-06 — MRBeata

2015-12-06

Alexandrina:

«Anseio pela eternidade, porque só lá saberei agradecer a Jesus o ter-me escolhido para viver esta vida de contínuo sacrifício, ansiando só por amar Jesus e salvar as almas. Sei que bem poucas almas me compreenderão, mas uma só coisa me basta: Jesus tudo compreende.»

(Autobiografia)

 

Alexandrina:

«Mas mesmo assim iria a procura de novos mundos, a mendigar amor para amar a Jesus. Ai, meu Paizinho, quanto mais vou, mais quero ir. Parece-me que estou a arder, mas debaixo duma dor que me cobre. O dia de hoje tenho-o passado assim. Queria dizer tanto e acabo por não dizer nada.»

(C.P.M.; 19/12/1939)

2015-11-29 — MRBeata

2015-11-29

Que neste tempo de Advento saibamo-nos preparar para a vinda de Jesus. Reflitamos nas palavras de Alexandrina:

«E agora, que lhes hei-de dizer? Que estamos no Advento, que nos devemos preparar para a vinda de Jesus com a maior perfeição e graça nas nossas almas. Que Jesus Menino encontre dentro de nós um presépio cheio de alvura e fofinho, no qual Ele possa repousar dignamente! Ah, sim! Se vivermos para Jesus, vivemos para toda a gente, em tudo cumprimos os nossos deveres, aceitamos a cruz com todos os seus espinhos como vinda das mãos de Deus para nosso bem e santificação.

Todo o amargo, todo o fel, toda a mirra, sofrimento e mortificação tem para nos encantos e doçura de mel.

Que grande dita se cumprimos os nossos deveres para com Deus. Podemos dizer: Vive Cristo em mim, eu n’Ele, a sua vida e a minha vida. Não tenho nem quero ter outro amor que não seja Ele.»

(Carta a um casal amigo; 13/12/1951)

2015-11-01 — MRBeata

2015-11-01

Alexandrina: «O dia de Todos os Santos foi muito atribulado para mim: logo pela manhã sentia a impressão de aparecer diante de Nosso Senhor sem nada, de mãos vazias. Fazia-me lembrar um mendigo que não tem uns tristes andrajos para se cobrir: eu também não tinha nada para a minha pobre alma. Parecia-me que não tinha coração para amar a Nosso Senhor e sentia a impressão que mo separavam de mim, mas não sei o que era. Assim passei o dia e parte da noite. Em tudo me parece que não amo a Nosso Senhor. O pouco que rezo é sem nenhum fervor e a rezar e a parecer-me que nada vale.»

(C.P^.M.; 04/11/1935)

 

Alexandrina: «Vivo com o meu Jesus. E Ele disse-me: Vives, vives, meu Amor. A tua vida é Jesus. O teu mundo é Jesus. Tu já não vives no mundo se não para sofreres. Preciso muito dos teus sofrimentos. Em breve viverás no meio dos Meus eleitos.»

(Êxtases; 01/11/1938)

 

Alexandrina «Alexandrina « Dia de Todos-os-Santos. Logo de manhãzinha, ao preparar-me para receber o meu Jesus, encarreguei-os de amarem por mim a Jesus, à Mãezinha e toda a Santíssima Trindade. Duvidosa de ter ofendido O meu Jesus, pedi-Lhe muito perdão de todos os meus pecados e pedi à Mãezinha que lhe pedisse também perdão por mim. Queria fazer uma comunhão muito fervorosa e santa. Veio Jesus, avivou em mim os desejos de mais e mais amor.»

(Sentimentos da Alma; 01/11/1944)

(Sentimentos da Alma; 17/10/1944)

2015-10-11 — MRBeata

2015-10-11

Alexandrina «Digne-se Nosso Senhor aceitar-me tão grande sacrifício que estou a fazer para a conversão dos pecadores; tanto me preocupam as almas desses infelizes que tanto ofendem a Jesus! Tenho tanta, tanta pena das alminhas deles! Lembrar-me que uma vez perdidas ficam perdidas para sempre! Que tristeza! Não posso deixar de sofrer tudo e de oferecer todos os sacrifícios para a salvação deles e para desagravar o meu querido Jesus. Quando por alguns momentos eu me ponho a contemplá-Lo crucificado e O vejo tão mal tratado, então redobro de pena e o meu coração enche-se de dor e tristeza ao recordar-me que a cada momento Ele é horrivelmente crucificado.»

(C.P.M.; 07/01/1936)

 

Alexandrina: «Ela é Mãe e com que solicitude vela como se fosse por todos muito amada? Não cessa de amparar o braço da justiça Divina? Ela bem sabe que somos filhinhos. Eu hei de amá-La muito, muito, sim, Jesus? Lá no Céu! Não demoro lá, pois não? Sou o Vosso pára-raios na Terra, também depois serei no Céu. Queríeis que todos A amassem, com amor puro e muito grande? Ela é a salvação da humanidade? Pois bem, Jesus, farei todo o possível para que Ela seja amada, sim, Jesus e para que Vós sejais louvado, recebido e comolado nos Vossos Sacrários.»

(Êxtases; 13/10/1938)

2015-10-04 — MRBeata

2015-10-04

«(Alexandrina) A primeira condição que lhes peço é que procureis viver na maior graça e paz de Jesus, muito resignados e amiguinhos um do outro, desabafando os dois com a máxima franqueza e simplicidade, não ocultando nada um do outro para mais facilmente se ajudarem e darem todos os passos que devem dar.»

(Excerto de uma carta a um casal do Porto; 02/03/1950)

 

 

«(Alexandrina) Procurem depois de Jesus e da Mãezinha amarem-se um ao outro loucamente, verem um no outro essas almas e corações nobres com que o Senhor os dotou; são dons d’Ele, não deixem de lhos agradecer. Sejam amigos, sejam leais em tudo um ao outro, vivam como que sejam um só coração, uma só alma, uma só vida, vida tão pura e tão santa que encante os Anjos e atraia para vocês as bênçãos, os olhares e os auxílios do Senhor.»

(Excerto de uma carta a um casal do Porto; 02/03/1950)

2015-09-20 — MRBeata

2015-09-20

Jesus:

«Minha filha, estou contigo. Como Eu te amo! Quando estás fria sou Eu para penetrar mais em ti o meu amor; quando te não falo é para te infundir mais a minha confiança. Não te disse Eu que te não abandonava, e que me não ausentava de ti? Como Eu te amo! Anda para a minha escola, aprende com o teu Jesus a amar o silêncio, a humildade, a obediência e o abandono. Anda para os meus sacrários.»

(C.P.M.; 15/10/1934)

 

Alexandrina:

«Nos tribunais Nosso Senhor dá-me as lições mais belas. Que humildade a de Jesus! Que humilhações Ele sentiu e sempre com mansidão e doçura. Se eu soubesse aprender com o meu Jesus! Pobre de mim, nada recebo com amor e humildade! Tenho ardentes desejos de à semelhança de Jesus deixar-me calcar por todos. Quero ser uma discípula fiel e digna d’Ele. Pui para a flagelação. Meu Deus, todo o meu ser parecia desaparecer debaixo da fúria e da raiva. A alma ainda sofria mais do que o corpo.»

(C.P.M.; 12/07/1941)

2015-08-30 — MRBeata

2015-08-30

Alexandrina: «Quem me dá Jesus dá-me a vida, dá-me toda a riqueza do Céu e da Terra. Não posso desejar mais do que a Ele. Que ânsias eu tenho de O possuir! Que desejos de O amar! Mas ai, pobre de mim! Tudo desaparece como o fumo sem que eu chegue a ver sinal de alguma coisa. Sofrendo tanto, acabo por não sofrer. Morro por amar a Jesus e acabo por não O amar. Por mais que me esforce não posso acreditar em mim. Ó meu Deus, ó meu Deus, que noite triste!»

(Cartas ao Padre Humberto Pasquale; 21/09/1944)

 

Alexandrina:

«Só por amor me deixei ferir,

Só por amor meu coração sangra,

Só por Ti ,Jesus, a dor tem doçura,

Só na cruz conTigo, se me alegra a alma.»

(Pensamentos Soltos; 01/03/1949)

2015-08-16 — MRBeata

2015-08-16

Jesus: «Não te alimentarás jamais na terra. O teu alimento é a Minha Carne; o teu sangue é o Meu Divino Sangue; a tua vida é a Minha vida, de Mim a recebes, quando te bafejo e acalento, quando uno ao teu o Meu coração. [...] É grande o milagre da tua vida.»

(Sentimentos da Alma; 07/12/1946)

 

Jesus: «Tirei-te o alimento. Fiz, faço-te viver só de Mim. Sabes para quê, Minha filha? Para mais e mais luz. Para mais provar aos Homens o Meu poder, a Minha existência. Ai daqueles que não querem ver. Bem-aventurados os que veem e creem.»

(Sentimentos da Alma; 27/03/1953)

2015-08-15 — MRBeata

2015-08-15

«Meu Paizinho, cumpriram-se as palavras de Nosso Senhor: as horas do dia que passei foram tristíssimas, o coração sempre tristíssimo com os males do mundo e eu sem saber como consolar o meu Jesus. Sinto-me também inconsolável; não parece o dia da Assunção da Mãezinha querida. Como eu queria fazer-Lhe uma festinha! mas pouco ou nada Lhe sei dizer.»

(C.P.M.; 15/08/1939)

 

 «Vai “o amor” continuar no Céu ainda a salvá-las? Jesus tenho-Vos ofendido tanto; concordai comigo que é verdade, Jesus. Jesus tem sido amado pela Sua Alexandrina loucamente? Só tenho as manchas que Jesus tem permitido? Jesus precisava dum véu onde pudesse esconder-se? Está a Virgem Maria, a Mãe celestial louca de amor pela sua filhinha? Alegra-se a Virgem por ver na sua filhinha o pão, alimento de todos os seus filhinhos condenados?

Ó Jesus, não quero que a Mãezinha sofra, não quero que sofra o Vosso Divino Coração! Peço-Vos amor e força para levar a minha cruz. »

(Êxtases, 15/08/1941)

2015-08-09 — MRBeata

2015-08-09

Jesus: «Minha filha, pus-te no mundo, faço que vivas apenas de Mim para mostrar ao mundo o valor da Eucaristia e o que é a Minha vida nas almas. És luz e salvação para a humanidade: ditosos os que se deixam iluminar.»

(Sentimentos da Alma; 09/04/1954)

 

Jesus: «Minha filhinha, Minha filhinha, Meu querido amor? A Vossa morada é na Eucaristia? É a morada mais silenciosa que existe no mundo? E tenho tão pouco quem queira viver unidinho a Vós naquele silêncio? Ainda bem que a Vossa Alexandrina está conVosco a amar-Vos, a fazer-Vos companhia, a passar a vida encerrada nos Sacrários? O silêncio é uma grande perfeição e quando é passada em união com Jesus? O que se passa entre a alma e Jesus só o Céu o conhece? Ai se o mundo soubesse?»

(Êxtases; 29/12/1938)

 

2015-08-02 — MRBeata

2015-08-02

Alexandrina: «“Aceitai, meu Jesus, o meu coração agradecido e entregai-o por mim à Mãezinha. Muito obrigada pelo fogo Divino que me fazeis sentir. Se todas as almas o sentissem! Parece que tenho uma enorme fornalha no peito e no coração. Como sois poderoso e bom para comigo. Aceitai o meu sofrimento como prova do meu amor e dai-me por ele às almas. Lembro-Vos, meu Jesus, neste momento todos os que me são queridos. Lembro-Vos os sacerdotes e os pobres pecadores. Lembro-Vos o Santo Padre e as suas intenções. Lembro-Vos toda a minha família e todos os que se me recomendam. Lembro-Vos os que me ferem e lembro-Vos o mundo inteiro.”

 

Jesus: “Aceito, filhinha, toda a prece saída dos teus lábios. Pede, pede tudo, pede, confia sempre.”»

(S.A.; 18/05/1945)

2015-07-26 — MRBeata

2015-07-26

Alexandrina: «Longe do Céu, longe de Jesus está todo aquele que está longe do Sacrário. Eu quero almas, muitas almas verdadeiramente eucarísticas. [...] O Sacrário é a vida, o Sacrário é o amor, o Sacrário é a alegria e a paz. [...] Pobres daqueles que não querem conhecer e amar o Senhor do Sacrário! Pobres daqueles que não querem ver com aquela luz que produz o Sacrário!»

(Sentimentos da Alma; 11/09/1953)

 

Nos êxtases, Alexandrina reproduz em interrogações o que ouve de Jesus:

« (Jesus) Minha filhinha, Minha filhinha, Meu querido amor? A Vossa morada é na Eucaristia? É a morada mais silenciosa que existe no mundo? E tenho tão pouco quem queira viver unidinho a Vós naquele silêncio? Ainda bem que a Vossa Alexandrina está conVosco a amar-Vos, a fazer-Vos companhia, a passar a vida encerrada nos Sacrários? O silêncio é uma grande perfeição e quando é passada em união com Jesus? O que se passa entre a alma e Jesus só o Céu o conhece? Ai se o mundo soubesse?»

(Êxtases; 29/12/1938)

2015-07-19 — MRBeata

2015-07-19

Jesus a Alexandrina:

«Pede-lhe que se convertam, faz que as almas venham a Mim, reúne em Meu Divino Coração as Minhas ovelhas, todo o Meu rebanho. Pede, pede em nome de Jesus. Penitência, oração e sincera reconciliação.»

(Sentimentos da Alma; 23/02/1945)

 

«(Jesus) O Bom Pastor é incansável, o Bom Pastor dá a vida pelas Suas ovelhas? A crucificada de Jesus vai com o seu martírio à procura das extraviadas? Jesus alegra-se e comola-se com as almas que vão elegendo ao Seu Divino Coração?»

(Êxtases; 21/11/1941) 

2015-07-12 — MRBeata

2015-07-12

Alexandrina:

«Sem saber como, ofereci-me a Nosso Senhor como vítima e vinha, desde há muito tempo, a pedir o amor ao sofrimento. Nosso Senhor concedeu-me tanto, tanto esta graça, que hoje não trocaria a dor por tudo quanto há no mundo. Com este amor à dor, toda me consolava em oferecer a Jesus todos os meus sofrimentos. A consolação de Jesus e a salvação das almas era o que mais me preocupava.»

(Autobiografia)

 

Jesus a Alexandrina:

«Serás missionária com o teu Pai espiritual, salvar-me-ás com ele muitas almas e serás também com todos os meus discípulos que te chamarem em seu auxílio para os ajudarem na salvação das almas. Vê-las-ás entrar no Ceu e romper em hinos de agradecimento e louvor por Eu te ter criado e escolhido para os salvares. Minha filha, Eu estou sempre contigo.»

(C.P.M.; 07/11/1937)

2015-07-05 — MRBeata

2015-07-05

Alexandrina:

«Para o mundo quero eu morrer, mas quero viver para Vós, meu Jesus, para Vos consolar e amar, para desagravar o Vosso Divino Coração e o da querida Mãezinha. Deixai, meu Jesus, deixai, querida Mãezinha, arrancar dos Vossos Divinos Corações com toda a doçura e amor os espinhos que Vos ferem. Quero o meu coração sempre cercado com Eles, a agonizar de dor e a derramar sangue até à última gota: sofrer eu tudo, Jesus e Maria nada. Quero ser vítima de amor!»

(Cartas ao Padre Mariano Pinho; 19/10/1939)

Alexandrina:

«Contai comigo, meu Jesus: eu estou pronta para sofrer e para amar-Vos. É com a minha dor e com o meu amor que eu Vos hei-de fazer amado. Esquecei os desprezos, as ofensas e o esquecimento de todos. Olhai para mim: lembrai-Vos de que nem um só momento quero deixar de estar imolada para que venha a nós o Vosso Reino e para que todas as almas vão ao encontro ao Vosso Coração Divino, ao Vosso Coração de amor, ao Vosso Coração de Pai.»

(Cartas ao Padre Mariano Pinho; 10/04/1940)

2015-06-21 — MRBeata

2015-06-21

Alexandrina:

«Meu Jesus quero seguir-Vos, à Vossa semelhança quero caminhar.»

(Sentimentos da Alma; 13/09/1945)

 

Alexandrina:

«Só a vontade de Vos seguir, de Vos amar, de Vos imitar, de Vos pertencer, de ser-Vos fiel ate à morte permanece firme, mesmo com a cegueira esconder tudo.»

(Sentimentos da Alma; 03/11/1945)

 

Jesus a Alexandrina:

«Ó Minha amada, Minha querida filha, é este o caminho, segue-Me; é a via dolorosa, é o caminho do Calvário. Fui Eu que te escolhi, é a salvação das almas, é a Minha glória. Coragem, minha amada! Tenho mais consolação e alegria na tua crucifixão do que em todos os sofrimentos e amor das almas do mundo inteiro! Alegra-te, confia! Vais em breve, muito em breve, receber o premio de todos os teus sofrimentos. Tem coragem!»

(Êxtases; 06/03/1942) 

2015-06-07 — MRBeata

2015-06-07

Alexandrina:

«Creio em Deus Pai Todo-poderoso. Meu Deus, sabeis que eu Vos amo, ou melhor, creio em Vós e só Vós sabeis quanto desejo amar-Vos. Deixai-me enlouquecer por Vosso amor e fazei que em tudo morra a minha vontade, o meu querer, o meu eu para Vós e só Vós viverdes, meu Jesus.»

(S.A.; 1946)

 

Alexandrina:

«Ó doce Jesus, ó amor do meu amor, fazei-me forte, imolai-me; fazei-me pura, sacrificai-me. Juntai o meu sangue ao Vosso, Jesus, a minha dor à Vossa dor, o meu amor ao Vosso amor. Em Vós serei forte. Imolai nas Vossas Divinas mãos o mais pequenino cordeiro. Quero dar a minha vida pelo Vosso amor. Quero dar a minha vida para salvar-Vos as almas. Quero morrer para mim, quero morrer para o mundo; quero que em mim só haja a vida do amor. Jesus, quero viver só para salvar-Vos as almas.»

(E.; 1941)

2015-05-31 — MRBeata

2015-05-31

Alexandrina:

«Por amor de Maria Santíssima e de Jesus Sacramentado, sofrerei tudo para obter o amor da Santíssima Trindade.»

(Autobiografia; Florinha do dia 31 de maio de 1935)

 

Alexandrina:

«Por amor de Jesus e da minha Mãezinha do Céu, sofrerei neste dia para que seja dada muita honra e glória à Santíssima Trindade e que todos conheçam o Divino tesouro que trazem dentro de si.»

(Autobiografia; Florinha do dia 19 de maio de 1936)

 

Alexandrina, pensando que partia para o Céu no dia da Santíssima Trindade:

«À medida que se ia aproximando o dia da Santíssima Trindade, aumentava a minha alegria e contentamento. Ia passar no Céu a festa dos meus tão queridos Amores, como lhes chamava: Pai, Filho e Espírito Santo.»

(Autobiografia)

 

Alexandrina:

«Ó S.S.ma Trindade, ó minha querida e saudosa Trindade, para quem só quero viver, a quem me entrego, a quem só quero amar.»

(Sentimentos da Alma; 24/05/1942)

2015-05-24 — MRBeata

2015-05-24

Jesus a Alexandrina: «Sossega, Minha pomba bela, a Minha paz é contigo. Com a consolação e alegria que Me dás esqueço as tuas faltas, faltas que permito para esconder as Minhas maravilhas, o tesouro das Minhas riquezas, o Meu amor infinito. Coragem, estou contigo!»

(S.A.; 1945)

 

Jesus a Alexandrina: «Minha filha, assentamos lugar para sempre no trono de realeza, no trono do teu coração, Eu, Meu Pai e o Espirito Santo. Este para te encher dos Seus dons, do Seu amor, da Sua luz. E sabes para que, Minha esposa querida? Para tu dares, para tu comunicares às almas.»

(S.A.; 1946)

2015-05-17 — MRBeata

2015-05-17

Alexandrina: «No dia de ontem, quinta-feira da Ascensão, esta vida que passava por mim, como sopro suave, viveu mais do Céu, uniu-se a todo o louvor, a toda a glória que no Céu se dava, tudo mergulhado num só amor, no amor de Deus. E eu conservei-me na mesma morte... Não me movi para o alto; sabia que aquele sopro de vida que passava por mim e era tão meu estava com toda a corte celeste, mergulhado no mesmo amor celeste. Um gozo infinito, um amor infinito. Eu não fui capaz de imitar essa vida, de sair da minha morte» (S.A.; 1949)

 

Alexandrina: «No mesmo dia das nove pelas dez horas da noite ressuscitei dentre os mortos, triunfei sobre a morte e sobre toda a dor. E subiu para o alto uma vida que não era minha.» (S.A.; 1946)

2015-05-10 — MRBeata

2015-05-10

«Creio em Deus Pai Todo-poderoso. Meu Deus, sabeis que eu Vos amo, ou melhor, creio em Vós e só Vós sabeis quanto desejo amar-Vos. Deixai-me enlouquecer por Vosso amor e fazei que em tudo morra a minha vontade, o meu querer, o meu eu para Vós e só Vós viverdes, meu Jesus.»

(S.A.; 1946)

 

Alexandrina:

«Ó doce Jesus, ó amor do meu amor, fazei-me forte, imolai-me; fazei-me pura, sacrificai-me. Juntai o meu sangue ao Vosso, Jesus, a minha dor à Vossa dor, o meu amor ao Vosso amor. Em Vós serei forte. Imolai nas Vossas Divinas mãos o mais pequenino cordeiro. Quero dar a minha vida pelo Vosso amor. Quero dar a minha vida para salvar-Vos as almas. Quero morrer para mim, quero morrer para o mundo; quero que em mim só haja a vida do amor. Jesus, quero viver só para salvar-Vos as almas.»

(E.; 1941)

2015-05-03 — MRBeata

2015-05-03

Jesus a Alexandrina: «Vive do Meu sangue, vive do Meu amor, comunica-lhes esta vida, fala-lhes das Minhas ameaças, das Minhas queixas e do Meu perdão; fala-lhes com a prudência com que lhes tens falado, é a luz do Espírito Santo a iluminar-te, sou Eu a falar pelos teus lábios.» (S.A.; 1949)

 

 

Jesus a Alexandrina: «Sossega, Minha pomba bela, a Minha paz é contigo. Com a consolação e alegria que Me dás esqueço as tuas faltas, faltas que permito para esconder as Minhas maravilhas, o tesouro das Minhas riquezas, o Meu amor infinito. Coragem, estou contigo!» (S.A.; 1945) 

2015-04-26 — MRBeata

2015-04-26

Jesus a Alexandrina: «Vive do Meu sangue, vive do Meu amor, comunica-lhes esta vida, fala-lhes das Minhas ameaças, das Minhas queixas e do Meu perdão; fala-lhes com a prudência com que lhes tens falado, é a luz do Espírito Santo a iluminar-te, sou Eu a falar pelos teus lábios.»

(S.A.; 1949)

 

Jesus a Alexandrina: «Terás os dons do Espírito Santo, a Sua Luz Divina para nos outros tudo veres e compreenderes, o da fortaleza para tudo suportares e venceres. Coragem nos teus desfalecimentos, coragem até que chegue o Céu.»

(S.A.; 1945)

2015-04-19 — MRBeata

2015-04-19

Jesus a Alexandrina:

«Pede-lhe que se convertam, faz que as almas venham a Mim, reúne em Meu Divino Coração as Minhas ovelhas, todo o Meu rebanho. Pede, pede em nome de Jesus. Penitência, oração e sincera reconciliação.»

(Sentimentos da Alma; 23/02/1945)

 

«(Jesus) O Bom Pastor é incansável, o Bom Pastor dá a vida pelas Suas ovelhas? A crucificada de Jesus vai com o seu martírio à procura das extraviadas? Jesus alegra-se e comola-se com as almas que vão elegendo ao Seu Divino Coração?»

(Êxtases; 21/11/1941) 

2015-04-12 — MRBeata

2015-04-12

Oração de Alexandrina, em 1934:

«Perdão, meu Deus, eu não sou digna de tamanha graça, de Vos receber, mas não olheis para a minha miséria, mas sim para a Vossa infinita misericórdia. Sim, meu querido Jesus?»

(Autobiografia)

 

Jesus a Alexandrina:

«Quero, Minha filha, tenho pressa, muita pressa que a tua vida seja conhecida, o mundo necessita disso. É por ti, através de ti que Eu mostro o Meu amor, a Minha misericórdia, as ânsias que tenho de ver salvas as almas.»

(Sentimentos da Alma; 02/03/1945)

2015-04-04 — MRBeata

2015-04-04

Alexandrina:

«Neste santo tempo da Páscoa, tenho sofrido muito profundamente, imensamente. (…) Queria comer a Páscoa com toda a humanidade, a todos queria possuir e que todos a mim possuíssem e em mim se transformassem. (…) É uma vida tão grande, infinitamente grande, é a vida do Céu e da Terra. Ó meu Deus, eu não sou digna, eu não posso ter em mim tanta grandeza, tantos e tão íntimos desejos e ânsias!»

(S.A.; 1949)

2015-04-04 — MRBiblia

2015-04-04

EVANGELHO                                                            Mc 16, 1-7

«Jesus de Nazaré, o Crucificado, ressuscitou»

 

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos

Depois de passar o sábado, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé

compraram aromas para irem embalsamar Jesus.

E no primeiro dia da semana, partindo muito cedo, chegaram ao sepulcro ao nascer do sol.

Diziam umas às outras:

«Quem nos irá revolver a pedra da entrada do sepulcro?».

Mas, olhando, viram que a pedra já fora revolvida; e era muito grande. Entrando no sepulcro, viram um jovem sentado do lado direito, vestido com uma túnica branca, e ficaram assustadas.

Mas ele disse-lhes: «Não vos assusteis. Procurais a Jesus de Nazaré, o Crucificado? Ressuscitou: não está aqui. Vede o lugar onde O tinham depositado.

Agora ide dizer aos seus discípulos e a Pedro que Ele vai adiante de vós para a Galileia. Lá O vereis, como vos disse».

Palavra da Salvação

 

Refrão: Como suspira o veado pelas correntes das águas,

assim minha alma suspira por Vós, Senhor.

 Ou: Como o veado em busca das águas,

 assim, ó Deus, a minha alma Vos deseja.

 

Como suspira o veado pelas correntes das águas,

assim minha alma suspira por Vós, Senhor.

Minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo:

Quando irei contemplar a face de Deus?

 

A minha alma estremece ao recordar

quando passava em cortejo para o templo do Senhor,

entre as vozes de louvor e de alegria

da multidão em festa.

Enviai a vossa luz e verdade,

sejam elas o meu guia e me conduzam

à vossa montanha santa

e ao vosso santuário.

 

E eu irei ao altar de Deus,

a Deus que é a minha alegria.

Ao som da cítara Vos louvarei,

Senhor, meu Deus.

2015-04-03 — MRBeata

2015-04-03

SEXTA-FEIRA SANTA

Alexandrina:

«No Horto, foram os nossos corações espremidos até à última gota sobre o cálix da amargura; todos os espinhos os feriam; tudo ali convidada ao silêncio, à tristeza e à morte. Vi o que já há muito não tinha visto; as próprias oliveiras do Horto com a sua vasta folhagem muito verde como que a cobrir Jesus, a ser testemunha do Sou sofrimento e como que se d’Ele compadecesse.» (S.A.; 1949)

 

«Ó paixão, ó dor e amor de Jesus, que não és conhecida.» (S.A. ; 1945)

 

«Sentia-me a caminhar para o Horto e para o Calvário, mas este caminhar era doce e alegre; amava-o e como se estivesse prostrado de joelhos adorava todo o sofrimento. À noite, senti muito ao vivo e com os olhares da alma vi Jesus com a Sua Sacrossanta Cabeça poisada sobre as mãos com os braços apoiados sobre os Seus joelhos a fitar a Cidade de Jerusalém e sobre ela a derramar as Sua lágrimas. Foi tal a dor que Lhe abriu o Seu Divino Coração.» (S.A.; 1949)

 

«Vi a terra do Horto, o lugar que havia de ser regado com o meu sangue. Num impulso de amor queria beijar e abraçar esta terra.»

 

 

«O corpo, com todas as veias rasgadas, desfez-se em sangue, regou toda a terra. Nesta manhã, senti-me presa à coluna, e senti os olhares divinos de Jesus levantarem-se para Seu Eterno Pai num amor indizível como se ali fora o Céu.» (S.A.; 1949)

 

 

«…logo me senti presa pela cinta, arrastada, pelos cabelos, açoitada, coroada de agudos espinhos que me causavam tão grandes dores que me parecia, toda a cabeça arder em fogo.» (S.A.; 1945)

2015-03-29 — MRBeata

2015-03-29

Jesus a Alexandrina:

«“Dá-Me as tuas mãos, que as quero cravar coMigo; dá-Me os teus pés, que os quero cravar coMigo; dá-Me a tua cabeça, que a quero coroar de espinhos, como Me fizeram a Mim; dá-Me o teu coração, que o quero trespassar com a lança, como Me trespassaram a Mim; consagra-Me todo o teu corpo; oferece-te toda a Mim, que te quero possuir por completo.”

Foi isto bastante para me ter tido muito preocupada. Não sabia o que havia de fazer: calar-me e não dizer nada, parece-me não ser a vontade de Nosso Senhor, parece-me que o bom Jesus não queria que eu ocultasse isto. […] Será isto uma ilusão minha? Ai, meu Jesus, perdoai-me se Vos ofendo, eu não Vos queria ofender; faço-o por obediência, e a não ser calar-me, não sei como pudesse proceder de outra forma.»

(C.P.M.; 08/09/1934)

 

Alexandrina:

«Toda a Paixão foi muito abandonada. Nosso Senhor só por três vezes me disse umas palavrinhas. Na primeira vez, no Horto, quando o peso da justiça Divina caía sobre mim, Nosso Senhor dizia-me:

“Estás a fazer as Minhas vezes: também sobre Mim vinha tudo isto. Tem coragem, é obra Divina que te dá a força, que te move, que faz tudo isto.”

A segunda vez, no Horto também, eu via-me num abismo tão grande, tão cheio de imundices, pareciam-me que haviam ali todas as misérias e eram minhas. E Nosso Senhor dizia-me:

“Assim como Eu és fiadora: também Eu estava nesse abismo, coberto com todas as misérias.”»

(C.P.M.; 16/06/1939) 

2015-03-22 — MRBeata

2015-03-22

Jesus

«"Minha filha, encanto dos meus olhos, primogénita do meu Divino Coração, a paz seja contigo porque em teu coração habita aquele que dá a paz e a vida eterna, que é o teu Jesus. Olha, entristece-te comigo, chora, sofre.»

(C.P.M.; 20/12/1939)

 

Alexandrina 

«Parece-me que não me engano: o meu fim vai-se aproximando. Eu anseio por principiar a viver a vida eterna, a vida do Céu. Os medos que eu sinto tão aterradores parece-me bem que não se podem prolongar por muito tempo»

(C.P.M.; 22/10/1940) 

2015-03-08 — MRBeata

2015-03-08

Alexandrina:

«Então fazei que eu mostre o que sou, que não engano ninguém. Não posso enganar? Em mim é só a pura verdade? Sou o encanto atraente dos Vossos Divinos olhos, a luz das almas mais amortecidas?

Sou a ressurreição dos pecadores? Então posso acudir a todos? Ai de muitos, ai de muitos que se não querem salvar. Jesus, fazei que todos se salvem. Tenho tanta peninha deles, meu Jesus. A mesma sorte podia ter eu, meu Jesus.»

(Êxtases, 11/08/1939)

 

Jesus a Alexandrina:

«A minha paixão, a minha morte não salvou a todas porque não querem salvar-se. A tua paixão, a tua morte dará a vida eterna a todos quantos da minha Pátria quiserem gozar. Tem coragem! Ainda que o mundo tenha que sofrer grandes e graves castigos por não se reconciliar comigo será sempre salvo pelo teu sofrimento. Milhões e milhões de almas subirão por ti ao Céu.»

(Sentimentos da Alma, 29/06/1945) 

2015-03-01 — MRBeata

2015-03-01

Jesus «Minha filha, estrela do mundo, luz que o Ilumina, farol que o guia ao Meu Divino Coração. Escuta, alegria dos Meus olhos divinos aceita os meus divinos braços, abraça com eles a cruz que te dou, abraça-a com as forças divinas, já que as forças humanas não as tens. É cruz de amor para ti. Na tua vida de sofrimento está bem provado o amor com que te amo e o amor com que Me amas a mim. Amo-te, tu amas-Me. És minha, és das almas. A cruz que te dou é a cruz de mais alto valor para elas. Coragem, sempre firme nos braços do teu Jesus. O mundo fere tanto O Meu Divino Coração! Suaviza a minha dor, salva-me os pecadores; compra-os com esta cruz do mais elevado preço.»

(S.A.; 01/12/1945)

2015-02-15 — MRBeata

2015-02-15

Jesus «Quando me pedires para as almas a graça de conversão ou do meu divino amor vencerás o Meu Coração! Tomarei o teu pedido como se fosse uma ordem dada. Vês como te faço rica? Vês a loucura do meu amor por ti? Coragem, muita coragem.»

(Sentimentos da Alma, 15/06/1945)

 

 

Alexandrina «Não posso suportar este nada que eu sou diante de Nosso Senhor. Além do meu sofrimento que é a minha vida sinto em mim como que uma voz poderosa que chega atá o fim do mundo e que chama com um eco que se não mede, clama amor e chama a humanidade a converter-se.»

(Sentimentos da Alma, 21/12/1945) 

2015-02-01 — MRBeata

2015-02-01

«(Alexandrina) Jesus, não me importa dar a vida no meio da dor, contanto que eu morra de amor. Não me importa viver sempre crucificada, contanto que Vos salve as almas e que corte todas as cadeias que as prendem a Satanás.

(Jesus) Está bem, louca, louca de Jesus, grande número vai ser salvo?

(Alexandrina) Obrigada, meu Jesus, obrigada, meu Amor. Vou ver Jesus! Vou ver Jesus! Vou adorar-Te , meu Jesus, sobrecarregada de dor.»

(Êxtases.; 24/10/1941)

2015-01-25 — MRBeata

2015-01-25

Alexandrina «Que pena eu tenho de não ser para Jesus e para a Mãezinha aquilo que Eles querem e desejam! Não sei que sinto a mais no coração. Parece que dentro dele tem alguém que, à semelhança dos pescadores, deita redes e mais redes para apanhar este maundo imenso de almas. Quantas mais redes saem para fora do coração, mais redes tem para deitar.»

(S.A.; 18/01/1952)

 

Jesus a Alexandrina: «Vem, minha filha ao meu coração de Esposo, ao meu coração de Pai. Levanta-te! Coragem, coragem! Vem a este coração que te ama loucamente e tu amas loucamente. Vem a este coração que te pede. Faz, faz que Eu seja amado. Fala do meu amor. Distribui o meu amor. Vem, minha louquinha, vem, “pescadora das almas,,. Repara, olha no amor, no universo os pescadores a lançar as suas redes para ganharem o seu pão e para o alimento corporal da humanidade. As tuas redes são outras. Ó pescadora de Jesus, olha para Mim. Tu lanças-te as redes da dor e do amor neste mar infindo de tanto martírio. Eu puxo para Mim as redes, sobem para Mim as almas.»

(S.A.; 02/06/1955)

2015-01-18 — MRBeata

2015-01-18

Alexandrina «Seguir-Te, o Jesus, pisar por amor os caminhos espinhosos do Teu calvário, ser-Te fiel, dar-Te almas, viver só para Ti!»

(Pensamentos Soltos; Natal de 1942)

 

Alexandrina: «Só o Teu amor, Jesus! Não tenho querer, não tenho vontade. Seguir-Te, amar-Te, viver só para Ti e morta, bem morta para o mundo!»

(Pensamentos Soltos; 06/03/1945)

 

Jesus a Alexandrina: «Coragem, então, minha filha querida. Coragem para todos os espinhos, coragem para todas as setas, que são as de minha Bendita Mãe. Coragem para todos os punhais. Coragem para toda a Paixão. A tua vida é a vida de Cristo. A tua missão nobilíssima, é a missão escolhida por Jesus. Deixa, deixa, minha filha, o mundo humilhar-te, caluniar-te, perseguir-te. Assim foi a minha vida. Quero, quero em tudo, assemelhar-te a Mim. Quero-te imolada por Meu amor e por amor às almas, assim como Eu fui imolado por teu amor e por amor de todas as almas.

(Sentimentos da Alma; 11/07/1952)

 

2015-01-11 — MRBeata

2015-01-11

Alexandrina «A tribulação é enorme? SÓ Vós a compreendeis? Dais luzes necessárias ao meu P. para a compreender? O Divino Espírito Santo desce sobre ele e ilumina-o todo? É preciso ser assim? A minha vida bem claramente mostrada ao mundo» para que mesmo depois da minha morte as almas sigam o meu caminho e me imitam, para que mesmo do Céu eu seja o canal delas?»

(Sentimentos da Alma; 03/10/1944)

 

Alexandrina: «O Espírito Santo está sempre em mim? É uma luz que me ilumina; nunca me deixará de iluminar? Sou tão querida pela Trindade Santíssima. Ó Jesus muito obrigada, muito obrigada.»

(Êxtases; 03/03/1939)

 

Alexandrina: «Meu Jesus no Santíssimo sacramento vinde ao meu peito e vivei em mim. Sou tua; não posso viver sem Ti! Abrasai-me no fogo do teu amor. Graças e louvores se dêem em todo o momento ao Santíssimo Sacramento (3 vezes) Glória ao Pai, ao Pilho, ao Espírito Santo.»

(Sentimentos da Alma; 07/06/1940)

 

 

Jesus: «Ó Minha filha, Minha amada filha, Eu deixei a liberdade aos homens, mas indiquei-lhes o cadinho, ensinei-lhes a verdade, ensinei-os a amar, morri por eles e sou assim (mal) correspondido.»

(Sentimentos da Alma; 09/07/1948)

2015-01-04 — MRBeata

2015-01-04

Alexandrina:

«Já Vos vou ver; já Vos vou amar; já Vos vou adorar, Jesus. (Também cantou suavemente assim:)

Eu Vos adoro, ó Deus de amor.

Eu Vos adoro, ó meu bom Pai.

Eu Vos adoro, ó meu Criador

Eu Vos adoro no santuário

Eu Vos adoro no sacramento, ó Pão Divino, o Pão Divino, da alma alimento. Jesus é meu! Jesus é meu, ó vem a mim, ó vem a mim, ao meu coração, que é só Teu, só Teu, só Teu, Jesus!...»

(Êxtases, 31/01/1941)

 

Alexandrina:

«Deixar o mundo e entrar em mim, para viver só a vida divina, adorar e amar as grandes personagens do meu coração, o Pai, o Pilho e o Espírito Santo; mergulhar-me neste abismo insondável, a verdade suma; viver da fé, não da luz, nem do sentir!»

(Pensamentos Soltos,1942) 

2015-01-01 — MRBeata

2015-01-01

Alexandrina:

«No dia 1, no fim da Sagrada Comunhão, sentia tantos desejos de amar a N. Senhor mas estava fria e parecia-me que não O amava, mas dentro em pouquinho tempo falava-me Nosso Senhor: “Filhinha, sou o teu Jesus. Como Eu te amo! Queres fazer uma troca comigo? Eu dou-te o meu amor e tu retribui-me dando-me o teu amor, e com o teu amor o teu corpinho e o teu espírito para me fazeres companhia nos meus sacrários para Me amares e para obteres o perdão para os pecadores. Todas as vezes to recomendo. Assim como antes de Eu vir ao mundo eram imoladas as vítimas no templo, assim Eu quero imolar o teu corpo como vítima. Dá-me o teu sangue pelos pecados do mundo. Ajuda-me no meu resgate. Sem mim não podes nada; comigo terás poder para tudo, para acudires aos pecadores e muitas, muitas mais coisas. Principia um novo ano, para ti o mais rico de toda a tua vida. Vou encher-te dos meus divinos tesouros, dos meus frutos. Vou abundar-te dos meus dons.»

(C.P.M.; 03/01/1935)

 

Alexandrina

«Novo ano, nova vida, são estes os desejos o ânsias profundas do meu coração. Nova vida, sim; queria agora principiar a fazer o que até aqui não tenho feito, por não ter forças, ou não saber viver doutra forma. Quero sor pura e perfeita em todos os meus atos e ações. Quero ser de Jesus, viver só d’Ele e para Ele, para assim, inteiramente d'Ele, poder Ele tirar de mim algum proveito para as almas.»

(S.A.; 02/01/1948)

Destaques
/imagens/destaques/rsz_anopastoral2016_17.jpg
Agenda
2016-2017
Ano Mariano - Fé Contemplada
8 e 9 de julho 2017
Festa do Senhor da Cruz
14 de setembro
Exaltação da Santa Cruz
13 de outubro 2017
62.º aniversário da morte da Beata Alexandrina
31 de outubro
Consagração do Mundo ao Imaculado Coração de Maria
Localização

Ver mapa maior
ContactosMoradaHorários

Tel. Igreja: (00351) 252 951 601

Tel. Fundação: (00351) 252 951 264 

Tlm Fundação: (000351) 963 649 183

E-mail: fundacao@alexandrinadebalasar.com

Rua Alexandrina Maria da Costa, 21

4570-017 Balasar PVZ

GPS     41º 24' 17'' N    8º 37' 31'' W

Receção da Igreja:

segunda feira a sábado

09h00-12h30 e 14h00-18h00

domingo

09h00 às 12h45 e 14h30 às 18h00 

                                      

Casa da Alexandrina:

Inverno

09h00-12h00 e 14h00-18h00

Verão

Semana - 09h00 às 12h00 e 14h00 às 16h00

Domingo e Dia Santo - 08h00 às 19h00