logotipo /imagens/bandeiras/pt.gif   /imagens/bandeiras/gb.gif   /imagens/bandeiras/it.gif   /imagens/bandeiras/es.gif   /imagens/bandeiras/fr.gif
  
Slideshow Image 1 Slideshow Image 2 Slideshow Image 3 Slideshow Image 4 Slideshow Image 5 Slideshow Image 6 Slideshow Image 7 Slideshow Image 8
Apresentação
Palavra do Pároco
Palavra de Deus e revelações privadas
Aparições e revelações
Os Santos e a interpretação da Escritura
Balasar
Beata Alexandrina
História de uma Vida
Missão
Mensagem
Espiritualidade
Mística
Colóquios
Êxtases
Orações
Fátima e Balasar
Alexandrina no mundo
Processo | Glorificação
Serviços
Horários Litúrgicos
Pastoral da Mensagem da Beata Alexandrina
Serviços aos Peregrinos
Peregrinos - Estatísticas
Destaques
Capela da Santa Cruz
Cruz de Cristo
História da Capela S. Cruz
Alexandrina e a Santa Cruz
Fundação
Protocolo
Logótipo
Corpos Gerentes
Arquivo
Notícias
Temas de Reflexão
Meditar e Rezar com a Beata Alexandrina

Reparar o Sagrado Coração de Jesus

Alexandrina ofereceu-se como vítima pela reparação dos pecados cometidos contra Jesus. Toda a reparação de Alexandrina tinha como finalidade reparar o Sagrado Coração de Jesus, sempre ofendido pela humanidade pecadora.

 

«“Minha filha, à semelhança de Santa Margarida Maria, eu quero que incendeies no mundo este amor tão apagado nos corações dos homens. Incendeia-o, incendeia-o. Eu quero dar, Eu quero dar o Meu amor aos Homens. Eu quero ser por eles amado. Eles não Mo aceitam e não Me amam. Por ti quero que este amor seja incendiado em toda a humanidade, assim como por ti foi consagrado o mundo à Minha Bendita Mãe. Faz, esposa querida, que se espalhe no mundo todo o amor dos Nossos Corações.”

“Como, Jesus? Como trabalhar dessa forma?! Se ele não é aceite por Vós, como hão-de os Homens recebê-lo por mim?”

“Com a tua dor, com a tua dor, Minha filha! Só com ela as almas ficam agarradas às fibras da alma e depois se vão deixar os corações incendiar no  

Quadro do Sagrado Coração de Jesus, no quarto de Alexandrina            Meu amor.”

   Deixa que estes raios das Minhas chagas Divinas vão penetrar nas tuas chagas escondidas, nas tuas chagas místicas”.»

(Sentimentos da Alma; 01/10/1954)

 

Alexandrina oferece-se como vítima:

 

«Ó meu Jesus, eu amo-Vos, sofro para Vos amar e consolar o Vosso Divino Coração; sofro para reparar todos os crimes do mundo, e salvar-Vos todas as almas. Vivo para tudo o que Vós quiserdes, menos para Vos ofender e desgostar. Oh! Como eu me julgava feliz se não tivesse tido outro viver na Terra senão sofrer e amar!»

(Cartas ao Padre Mariano Pinho; 10/06/1939)

 

 

Nos êxtases, Alexandrina reproduz em interrogações o que ouve de Jesus:

«(Alexandrina) Não poupeis a mim a dor, mas fazei que eu poupe a dor do Vosso Divino Coração. Não posso ver o Sangue que corre desse Coração tão amante. Tomai todo o meu corpo, Jesus; tomai todo o meu sangue para Vós; quero derramá-lo dia e noite. Quero sofrer, sem cessar um momento, mas quero que reine o Vosso amor. Quero apagar com o meu sangue os crimes que tanto Vos ofendem.

(Jesus) Basta, Basta, louca, louca! O Coração de Jesus está comolado? A dor de Jesus fica na guerreira das almas, na salvadora da humanidade?

(Alexandrina) Sim, meu Jesus, quero sofrer, quero Vos amar, quero sofrer, quero dar-Vos as almas. Quero sofrer, mas ver o Vosso Divino Amor incendiado em todos os corações da Terra. Sou Tua, Jesus!»

(Êxtases; 29/08/1941)

 

 

Alexandrina:

«Para o mundo quero eu morrer, mas quero viver para Vós, meu Jesus, para Vos consolar e amar, para desagravar o Vosso Divino Coração e o da querida Mãezinha. Deixai, meu Jesus, deixai, querida Mãezinha, arrancar dos Vossos Divinos Corações com toda a doçura e amor os espinhos que Vos ferem. Quero o meu coração sempre cercado com Eles, a agonizar de dor e a derramar sangue até à última gota: sofrer eu tudo, Jesus e Maria nada. Quero ser vítima de amor!»

(Cartas ao Padre Mariano Pinho; 19/10/1939)

 

 

Alexandrina:

«Contai comigo, meu Jesus: eu estou pronta para sofrer e para amar-Vos. É com a minha dor e com o meu amor que eu Vos hei-de fazer amado. Esquecei os desprezos, as ofensas e o esquecimento de todos. Olhai para mim: lembrai-Vos de que nem um só momento quero deixar de estar imolada para que venha a nós o Vosso Reino e para que todas as almas vão ao encontro ao Vosso Coração Divino, ao Vosso Coração de amor, ao Vosso Coração de Pai.»

(Cartas ao Padre Mariano Pinho; 10/04/1940)

 

 

Alexandrina:

«Jesus, crucificai-me, Jesus, imolai-me, Jesus, consolai o Vosso Coração Divino, o Vosso Coração de Pai. Passai para mim as Vossas amarguras e esquecei as minhas ofensas e de todos os Vossos filhos. Perdão, Jesus. Sou Vossa e amo-Vos.»

(Cartas ao Padre Mariano Pinho; 15/05/1940)

 

 

Jesus pede-lhe reparação:

 

«Toma todo o conforto, Minha filha. A tua dor será dolorosíssima. O teu sofrimento horroroso. Aceitas para consolares e desagravares o Meu Divino Coração e para que se salvem as almas?»

(Cartas ao Padre Mariano Pinho; 03/06/1940)

 

 

Nos êxtases, Alexandrina reproduz em interrogações o que ouve de Jesus:

« (Jesus) Jesus chora amargamente e mostra o Seu Coração ferido? Quem poderá cicatrizar esta ferida tão profunda? O amor, só o amor, a reparação, só a reparação?

(Alexandrina) Jesus, quanto eu sinto a Vossa dor; quanto me custa ver o Vosso Divino Coração aberto. Aceitai o meu amor, aceitai a minha dor. Quero curar essa chaga, quero consolar-Vos e alegrar-Vos.»

(Êxtases; 22/08/1941)

 

 

Jesus a Alexandrina

«“Como és a esposa a quem mais amo, a maior vítima que tenho na Terra não te dou uma recusa, nada te negarei.

Minha filha, Minha filha, vou pedir-te para esta noite grande sofrimento e grande reparação para tantos pecados, tantos crimes que nela se vão cometer nos bailes, cinemas, casino e mais, muito mais. Aceitais, dás-Me esta reparação? E dás-me mais ainda a reparação que te pedir uns dias desta semana por um sacerdote que está em riscos de se perder? Digo-te depois quem ele é.”

“Meu Jesus, nada Vos posso negar; pedi-me o que quiserdes, custe o que custar; prometei-me a Vossa graça e força Divina, nada posso temer com isso.”»

(Sentimentos da Alma; 03/08/1946)

 

 

Jesus a Alexandrina

«Avante, Minha filha, o amor vence, o amor triunfa na dor. O Calvário e a Cruz remiram o mundo, foi a chave que abriu as portas do Paraíso. A tua crucifixão continua a ser a salvação e a paz da humanidade. Eu sei, Minha amada, que não me podes ver sofrer. Vem então com coragem, deixa-te crucificar para curares a chaga tão dolorosa do Meu Divino Coração. Coragem! Tens o teu Jesus com a tua Mãezinha querida, louca de amor pela esposa de Cristo crucificado.»

(Cartas ao Padre Mariano Pinho; 08/11/1940)

 

 

Jesus convidava-a para a Paixão (sexta feira):

«Minha filha, Meu anjo, anjo querido do Meu Divino Coração. É chegada a hora de mais amor. É chegada a hora de mais alegria e consolação para Mim.»

(Cartas ao Padre Mariano Pinho; 25/10/1940)

 

 

Jesus a Alexandrina

«Escutai, escutai quem fala. É Jesus, o Esposo das vossas almas. Escutai, escutai quem fala, é Jesus, o mendigo do amor. Atende, atende, Minha filha, está no teu coração o teu Senhor, o teu esposo, o teu tudo. Entrei e sentei-Me no Meu trono. É nele que te falo, é nele que te peço. Dá-me dor, dá-me dor, filha querida, e faz que Eu seja amado. Dá-me a tua dor para reparar o Meu Divino Coração. Faz que Eu seja amado para esquecer as ofensas. É tão pequenino, tão pequenino o número de almas que me amam verdadeiramente. É tão grande, tão grande o número das que me ofendem com toda a gravidade. Oh! Como sangra de dor o Meu Divino Coração! […]

Ó, Minha filha, o mundo peca o mundo é cruel. Ai dele, ai dele, se nela se incendeia a justiça Divina.»

(Sentimentos da Alma; 04/05/1951)

Destaques
/imagens/destaques/rsz_anopastoral2016_17.jpg
Agenda
2016-2017
Ano Mariano - Fé Contemplada
30 março 2017
113º aniversário do nascimento da Beata Alexandrina
25 de abril 2017
13.º aniversário da Beatificação de Alexandrina
Localização

Ver mapa maior
ContactosMoradaHorários

Tel. Igreja: (00351) 252 951 601

Tel. Fundação: (00351) 252 951 264 

E-mail: fundacao@alexandrinadebalasar.com

Rua Alexandrina Maria da Costa, 21

4570-017 Balasar PVZ

GPS     41º 24' 17'' N    8º 37' 31'' W

 

Receção da Igreja:

segunda feira a sábado

09h00-12h30 e 14h00-18h00

domingo

09h00 às 12h45 e 14h30 às 19h00 (horário verão)

                                        ou 18h00 (horário inverno)

 

Casa da Alexandrina:

09h00-12h00 e 14h00-19h00