logotipo /imagens/bandeiras/pt.gif   /imagens/bandeiras/gb.gif   /imagens/bandeiras/it.gif   /imagens/bandeiras/es.gif   /imagens/bandeiras/fr.gif
  
Slideshow Image 1 Slideshow Image 2 Slideshow Image 3 Slideshow Image 4 Slideshow Image 5 Slideshow Image 6 Slideshow Image 7 Slideshow Image 8
Apresentação
Palavra do Pároco
Palavra de Deus e revelações privadas
Aparições e revelações
Os Santos e a interpretação da Escritura
Balasar
Beata Alexandrina
História de uma Vida
Missão
Mensagem
Espiritualidade
Mística
Colóquios
Êxtases
Orações
Fátima e Balasar
Alexandrina no mundo
Processo | Glorificação
Serviços
Horários Litúrgicos
Pastoral da Mensagem da Beata Alexandrina
Serviços aos Peregrinos
Peregrinos - Estatísticas
Destaques
Capela da Santa Cruz
Cruz de Cristo
História da Capela S. Cruz
Alexandrina e a Santa Cruz
Fundação
Protocolo
Logótipo
Corpos Gerentes
Arquivo
Notícias
Temas de Reflexão
Meditar e Rezar com a Beata Alexandrina

Títulos de Jesus a Alexandrina

São belos os títulos que Jesus dá à Beata Alexandrina demonstrando o seu supremo, verdadeiro e puro amor por ela. Segundo a nota de autor (Pe. Humberto Pasquale), foram contabilizados 306 títulos que Jesus designou à Beata Alexandrina.

 

 

«És a rainha da dor, a rainha das vítimas, a rainha dos pecadores. Acode-Lhes, acode-lhes!»

(Sentimentos da Alma; 26/11/1948)

 

 

«Minha filha, Minha flor mimosa de pétalas tenras, puras e perfumadas, canteiro do Meu jardim onde estão enraizadas as flores mais aromáticas das mais heroicas virtudes. São rosas Minhas, são flores Divinas. Vem Meu anjo, vem descansar no teu Jesus, na tua querida Mãezinha.»

(Sentimentos da Alma; 04/11/1944 – 1º sábado)

 

 

«Vem, Minha louquinha, vem, pescadora das almas. Repara, olha no amor, no universo os pescadores a lançar as suas redes para ganharem o seu pão e para o alimento corporal da humanidade. As tuas redes são outras. Ó pescadora de Jesus, olha para Mim.»

(Sentimentos da Alma; 02/06/1955)

 

 

«Não, Minha filha, não. És Minha esposa amada, quero-te pura, pura, digna de Mim. É por isso que possuis as riquezas da Trindade Divina e as riquezas de Maria.»

(Sentimentos da Alma; 09/03/1945)

 

 

«Minha louquinha, Minha louquinha, tem coragem. É tão grande o número de almas que Me salvas!»

(Cartas ao Padre Mariano Pinho ;20/10/1939

 

 

«Ó Minha filha, esposa querida, tu és a pedra preciosa da Minha coroa, pedra que nela brilha com toda a luz e esplendor.

Tu és a pedra preciosa, a flor mimosa que adorna o Meu Divino Coração. És a Minha alegria, a Minha loucura, em ti Me delicio, em ti Me escondo, com o teu amor Me esqueço dos crimes dos pecadores.»

(Sentimentos da Alma; 31/12/1948)

 

 

«Minha filha, anjo da Terra, flor Minha, flor cândida do paraíso. Vem Minha filha receber mais uma prova do Meu desposório contigo, da Minha união conjugal.[…]

Coragem Minha querida jardineira, jardineira do jardim Celeste, agricultora Divina.»

(Sentimentos da Alma;  29/12/1944)

 

 

«És a heroína do amor, a heroína da dor, a heroína da reparação, a heroína dos combates, a rainha dos heroísmos.»

(Sentimentos da Alma; 18/05/1945)

 

 

«Tu és arca de Noé»                                 

(Sentimentos da Alma; 08/12/1944)

 

 

«Minha filha, sol do mundo, brada, brada bem alto, que o teu brado se estenda a toda a humanidade.»

(Sentimentos da Alma; 19/11/1948)

 

 

«Minha filha, heroína forte, alegria do Céu, do Céu que é teu, do céu que te espera para bem breve.»

(Sentimentos da Alma; 24/06/1955)

 

 

“Minha filha, ó esposa predileta, ó vítima sem igual, coragem, coragem; dor, dor e amor. É urgente a reparação.»

(Sentimentos da Alma; 24/06/1955)

 

 

«Ó Minha louquinha, violeta pequenina, não tem havido e há ainda tantas rainhas na terra?!»

(Sentimentos da alma; 13/05/1955)

 

 

Nos êxtases, Alexandrina reproduz em interrogações o que ouve de Jesus:

 

« (Jesus) Vem Minha benjamina, encanto bem atraente dos Meus Divinos olhos?»

(Êxtases; 21/12/1938)

 

 

« (Jesus) Minha filhinha, Minha filhinha, Meu querido amor? A Vossa morada é na Eucaristia?

(Êxtases; 29/12/1938)

 

 

« (Jesus) Olha, Minha Alexandrina, vais dar uma resposta ao teu Jesus?»

(Êxtases; 09/01/1939)

 

 

« (Jesus) Faço-te sofrer tanto, Minha joia preciosa? As minhas dores são as pétalas mais belas que adornaram o Vosso Amantíssimo Coração?

(Êxtases; 28/01/1939)

 

 

« (Jesus) Minha filha, Minha crucificada Minha Alexandrina, sofro tanto? Com que sofreis Jesus?»

(Êxtases; 05/02/1939)

Destaques
/imagens/destaques/rsz_anopastoral2016_17.jpg
Agenda
2016-2017
Ano Mariano - Fé Contemplada
8 e 9 de julho 2017
Festa do Senhor da Cruz
14 de setembro
Exaltação da Santa Cruz
13 de outubro 2017
62.º aniversário da morte da Beata Alexandrina
31 de outubro
Consagração do Mundo ao Imaculado Coração de Maria
Localização

Ver mapa maior
ContactosMoradaHorários

Tel. Igreja: (00351) 252 951 601

Tel. Fundação: (00351) 252 951 264 

Tlm Fundação: (000351) 963 649 183

E-mail: fundacao@alexandrinadebalasar.com

Rua Alexandrina Maria da Costa, 21

4570-017 Balasar PVZ

GPS     41º 24' 17'' N    8º 37' 31'' W

Receção da Igreja:

segunda feira a sábado

09h00-12h30 e 14h00-18h00

domingo

09h00 às 12h45 e 14h30 às 18h00 

                                      

Casa da Alexandrina:

Inverno

09h00-12h00 e 14h00-18h00

Verão

Semana - 09h00 às 12h00 e 14h00 às 16h00

Domingo e Dia Santo - 08h00 às 19h00