logotipo /imagens/bandeiras/pt.gif   /imagens/bandeiras/gb.gif   /imagens/bandeiras/it.gif   /imagens/bandeiras/es.gif   /imagens/bandeiras/fr.gif
  
Slideshow Image 1 Slideshow Image 2 Slideshow Image 3 Slideshow Image 4 Slideshow Image 5 Slideshow Image 6 Slideshow Image 7 Slideshow Image 8
Apresentação
Palavra do Pároco
Palavra de Deus e revelações privadas
Aparições e revelações
Os Santos e a interpretação da Escritura
Balasar
Beata Alexandrina
História de uma Vida
Missão
Mensagem
Espiritualidade
Mística
Colóquios
Êxtases
Orações
Fátima e Balasar
Alexandrina no mundo
Processo | Glorificação
Serviços
Horários Litúrgicos
Pastoral da Mensagem da Beata Alexandrina
Serviços aos Peregrinos
Peregrinos - Estatísticas
Destaques
Capela da Santa Cruz
Cruz de Cristo
História da Capela S. Cruz
Alexandrina e a Santa Cruz
Fundação
Protocolo
Logótipo
Corpos Gerentes
Arquivo
Notícias
Temas de Reflexão
Meditar e Rezar com a Beata Alexandrina

Conversão dos pecadores

Fátima

O Anjo, na sua segunda aparição (verão de 1916):

«De tudo que puderdes, oferecei a Deus sacrifícios em ato de reparação pelos pecados com que Ele é ofendido e súplica pela conversão dos pecadores. Atraí assim, sobre a vossa Pátria, a paz. Eu sou o Anjo da sua guarda, o Anjo de Portugal. Sobretudo, aceitai e suportai, com submissão, o sofrimento que o Senhor vos enviar.»

(Memórias da Irmã Lúcia I; pág. 78)

 

 

Nossa Senhora na sua terceira aparição:

«Sacrificai-vos pelos pecadores e dizei muitas vezes, em especial sempre que fizerdes algum sacrifício: ó Jesus, é por vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria.»

(Memórias da Irmã Lúcia I; pág. 87)

 

 

Conta a Lúcia:

«Desde que Nossa Senhora nos ensinou a oferecer a Jesus os nossos sacrifícios, sempre que combinávamos fazer algum ou que tínhamos alguma prova a sofrer, a Jacinta perguntava:

“Já disseste a Jesus que é por Seu amor?”

Se Ihe dizia que não...

“Então digo-Lho eu.”

E punha as mãozinhas, levantava os olhos ao Céu e dizia:

“Ó Jesus, é por Vosso amor e pela conversão dos pecadores.”

(Memórias da Irmã Lúcia I; pág. 50)

 

 

 

 

Os três Pastorinhos: Lúcia (10 anos), Francisco (9 anos) e Jacinta (7 anos)

Balasar

Alexandrina, em 11 de agosto de 1953, escreve no seu diário:

«Eu queria gravar nas pedras na rua, das estradas, dos fontenários, nas praças, nas praias, nos desgraçados casinos, nos cinemas, nas casas de pecado, etc., etc., em toda a parte, isto: Pecadores, convertei-vos! Vinde a Jesus! Não fomos criados para a terra, mas sim para o Céu! Não ofendais a Nosso Senhor! Ah!, se soubésseis o que é uma ofensa feita ao Seu Divino Coração!

Eu vivi por vós, sofri por vós, morri por vós e por vós vou continuar o meu Céu. Foram por vós todas as minhas aspirações. Não queria um só momento de deixar de aos vossos ouvidos falar do amor que Jesus nos tem e o que é a nossa ingratidão para com Ele, quando pecamos. Queria dizer muita coisa para os não deixar cair no pecado.

Amai o Senhor!

Amai o Senhor!

Temei o inferno!»

(Sentimentos da Alma; 07/08/1953)

 

 

Jesus fala-nos, através da Alexandrina:

«Convertei-vos pecadores! Chama-vos o Senhor.»

(Sentimentos da Alma; 27/05/1955)

 

 

Jesus a Alexandrina:

«... brada ao mundo cruel:

“Pecadores ingratos, orai, fazei penitência, convertei-Vos, vinde a Jesus. Eu quero corações puros, abrasados da amor;” [...]

Como Eu sou ofendido, Minha filha!»

(Sentimentos da Alma; 19/11/1948)

 

 

Nos êxtases, Alexandrina reproduz em interrogações o que ouve de Jesus:

«(Jesus) Vão pecadores sem conta para o inferno? Não podia uma criatura da Terra contar os que momento a momento lá caiem? Vós chamais, Vós gritais: “Convertei-vos, convertei-vos?” Mas eles estranhados no vício, na desonra, na impureza, não Vos ouvem? Estão surdos? Estão cegos? Sinto agora a Vossa dor de Pai que derramou todo o Sangue para Vos salvar?

(Alexandrina) Jesus, chamai muito alto. Batei-lhes ao coração. Insiste para que eles Vos ouçam. Dai-lhes sofrimentos. O sofrimento fá-los lembrar de Vós.

(Jesus) Desesperam-se, falta-lhes o amor à cruz, a generosidade que em mim encontrastes?»

(Êxtases; 10/11/1939)

 

Destaques
/imagens/destaques/rsz_anopastoral2016_17.jpg
Agenda
2016-2017
Ano Mariano - Fé Contemplada
14 de setembro
Exaltação da Santa Cruz
13 de outubro 2017
62.º aniversário da morte da Beata Alexandrina
31 de outubro
Consagração do Mundo ao Imaculado Coração de Maria
Localização

Ver mapa maior
ContactosMoradaHorários

Tel. Igreja: (00351) 252 951 601

Tel. Fundação: (00351) 252 951 264 

Tlm Fundação: (000351) 963 649 183

E-mail: fundacao@alexandrinadebalasar.com

Rua Alexandrina Maria da Costa, 21

4570-017 Balasar PVZ

GPS     41º 24' 17'' N    8º 37' 31'' W

Receção da Igreja:

segunda feira a sábado

09h00-12h30 e 14h00-18h00

domingo

09h00 às 12h45 e 14h30 às 18h00 

                                      

Casa da Alexandrina:

Inverno

09h00-12h00 e 14h00-18h00

Verão

Semana - 09h00 às 12h00 e 14h00 às 16h00

Domingo e Dia Santo - 08h00 às 19h00