logotipo /imagens/bandeiras/pt.gif   /imagens/bandeiras/gb.gif   /imagens/bandeiras/it.gif   /imagens/bandeiras/es.gif   /imagens/bandeiras/fr.gif
  
Slideshow Image 1 Slideshow Image 2 Slideshow Image 3 Slideshow Image 4 Slideshow Image 5 Slideshow Image 6 Slideshow Image 7 Slideshow Image 8
Apresentação
Palavra do Pároco
Palavra de Deus e revelações privadas
Aparições e revelações
Os Santos e a interpretação da Escritura
Balasar
Beata Alexandrina
História de uma Vida
Missão
Mensagem
Espiritualidade
Mística
Colóquios
Êxtases
Orações
Fátima e Balasar
Alexandrina no mundo
Processo | Glorificação
Serviços
Horários Litúrgicos
Pastoral da Mensagem da Beata Alexandrina
Serviços aos Peregrinos
Peregrinos - Estatísticas
Destaques
Capela da Santa Cruz
Cruz de Cristo
História da Capela S. Cruz
Alexandrina e a Santa Cruz
Fundação
Protocolo
Logótipo
Corpos Gerentes
Arquivo
Notícias
Temas de Reflexão
Meditar e Rezar com a Beata Alexandrina

Rosário

Fátima

Nas seis aparições de Nossa Senhora em Fátima, recomendou aos três Pastorinhos que rezassem todos os dias o Rosário com devoção.

 

1.ª aparição (13/05/1917):

«Rezem o terço todos os dias, para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra.»

 

 

2.ª aparição (13/06/1917)

«Quero que venhais aqui no dia 13 do mês que vem, que rezeis o terço todos os dias e que aprendam a ler. Depois direi o que quero.»

 

3.ª aparição (13/07/1917)

«Quero que venham aqui no dia 13 do mês que vem, que continuem a rezar o terço todos os dias, em honra de Nossa Senhora do Rosário, para obter a paz do mundo e o fim da guerra, porque só Ela lhes poderá valer.»

 

4.ª aparição (19/08/1917)

«Quero que continueis a ir à Cova de Iria no dia 13, que continueis a rezar o terço todos os dias. No último mês, farei o milagre, para que todos acreditem.»

 

5.ª aparição (13/09/1917)

«Continuem a rezar o terço, para alcançarem o fim da guerra.»

 

6.ª aparição (13/10/1917)

«Quero dizer-te que façam aqui uma capela em Minha honra, que sou a Senhora do Rosário, que continuem sempre a rezar o terço todos os dias. A guerra vai acabar e os militares voltarão em breve para suas casas.»

(Memórias da Irmã Lúcia I; pág. 172 a 181)

 

 

Note-se que na última aparição, a Virgem diz:

«... sou a Senhora do Rosário, que continuem sempre a rezar o terço todos os dias.»

 

 

Sendo do conhecimento da população que as três crianças viam “uma senhora”, estes foram levados para a prisão de Ourém para serem interrogados. Ao pernoitar na prisão, rezaram o terço, também com a participação dos presos:

«Determinámos, então, rezar o nosso Terço. A Jacinta tira uma medalha que tinha ao pescoço, pede a um preso que Ihe pendure em um prego que havia na parede e, de joelhos diante dessa medalha, começamos a rezar. Os presos rezaram connosco, se é que sabiam rezar; pelo menos estiveram de joelhos.»

(Memórias da Irmã Lúcia I; pág. 52)

 

Os três Pastorinhos: Jacinta, Lúcia e Francisco

Balasar

Nossa Senhora: «Minha filha, Eu sou a Virgem do Rosário. Estou contente contigo por aconselhares a rezarem ao menos o terço em minha honra; continua; é devoção de salvação.»

(Sentimentos da Alma; 01/10/1949)

 

 

Alexandrina:

«Jesus veio logo, sentou-se ao lado da Mãezinha e esta continuou:

“Minha filha, vem comigo, vamos salvar o mundo, vamos converter os pecadores. Sobre o teu o coração, coloco esta cruz, para te fazer sentir que é a cruz da salvação. Dor e cruz, abraça, abraça-a.

Nas tuas mãos enleio o rosário. Fala dele, fala dele. Se soubesses quanto nos tens consolado!

Fala às almas, fala-lhes da Eucaristia, fala-lhes do rosário. Que elas se alimentem da Carne, do Corpo de Cristo e do alimento da oração, do meu terço quotidiano.”»

(Sentimentos da Alma; 08/10/1954)

 

 

Jesus a Alexandrina:

«Fala da minha Eucaristia, fala da devoção do terço da Minha bendita Mãe. Se tudo isto fosse feito com perfeição, era o bastante para a salvação do mundo.»

(Sentimentos da Alma; 01/07/1955)

 

Jesus a Alexandrina:

«Firma nas tuas mãos a cruz. Cinge-a bem ao teu coração. A humanidade inteirinha vai ficar dentro do rosário. Fala as almas, Minha filha. Fala-lhes do rosário e da Eucaristia! O terço, o terço, o rosário, o rosário! A Eucaristia, o Meu Corpo e o Meu Sangue! A Eucaristia, a Eucaristia, com as Minhas vitimas, eis a salvação do mundo!»

(Sentimentos da Alma; 29/10/1954)

 

 

Jesus a Alexandrina:

«Se vierem ao Sacrário nas devidas disposições e rezarem o rosário ou uma parte do rosário, isto é, o terço, todos os dias, nada mais é preciso para que se afaste a justiça de Deus. O rosário, o Sacrário e as Minhas vítimas, a vítima deste calvário, são o suficiente para que ao mundo seja dado o perdão e a paz. Quem vem ao sacrário, vive puro. Quem vive à sombra da minha Bendita Mãe, vive da sua pureza.»

(Sentimentos da Alma; 10/12/1954)

 

Ícone da Beata Alexandrina, de Domenica Ghidotti

Alexandrina segura o terço na mão direita

Destaques
/imagens/destaques/rsz_anopastoral2016_17.jpg
Agenda
2016-2017
Ano Mariano - Fé Contemplada
8 e 9 de julho 2017
Festa do Senhor da Cruz
14 de setembro
Exaltação da Santa Cruz
13 de outubro 2017
62.º aniversário da morte da Beata Alexandrina
31 de outubro
Consagração do Mundo ao Imaculado Coração de Maria
Localização

Ver mapa maior
ContactosMoradaHorários

Tel. Igreja: (00351) 252 951 601

Tel. Fundação: (00351) 252 951 264 

Tlm Fundação: (000351) 963 649 183

E-mail: fundacao@alexandrinadebalasar.com

Rua Alexandrina Maria da Costa, 21

4570-017 Balasar PVZ

GPS     41º 24' 17'' N    8º 37' 31'' W

Receção da Igreja:

segunda feira a sábado

09h00-12h30 e 14h00-18h00

domingo

09h00 às 12h45 e 14h30 às 18h00 

                                      

Casa da Alexandrina:

Inverno

09h00-12h00 e 14h00-18h00

Verão

Semana - 09h00 às 12h00 e 14h00 às 16h00

Domingo e Dia Santo - 08h00 às 19h00